Conhecimento | Vai Ser Rimando
Categoria

Conhecimento

Uma parte de todo conhecimento necessário a qualquer membro da cultura Hip Hop.

Sabotage no clipe Um Bom Lugar

12 versos do Sabotage que você nunca tinha lido

por

Sabe aquele tipo de artista, principalmente músico, que costuma usar qualquer pedaço de superfície pra escrever um verso, uma inspiração? Sabotage leva essa categoria ao extremo. No estúdio, “mergulhava” entre os pedaços de papel para encontrar aquele verso que queria; enquanto não encontrava, ia metendo umas rimas improvisadas mesmo no som. Não à toa, mesmo após sua morte, um disco de músicas inéditas deve surgir em breve. Além disso, o livro “Um bom lugar”, sua biografia oficial, escrito por Toni C., traz vários versos retirados de suas “anotações”, que nunca foram gravados (pelo menos, que não foram lançados ainda). Leia mais: – 23 coisas que você não sabia sobre o Sabotage; – DJ Cia grava música inédita do Sabotage com participação do Dexter; (…)

Fala mais

23 coisas que você não sabia sobre o Sabotage

por

Muito pouco se sabe realmente sobre a vida de Sabotage. Sua história é daquelas de artistas cinematográficos, cheia de intrigas e mistérios. Literalmente, afinal, em breve devemos ter um documentário e um filme oficial sobre o Maestro do Canão; no ano passado, já teve o lançamento do livro da biografia oficial. Aliás, o próprio autor da obra, Toni C, revelou que, mesmo depois da intensa pesquisa, muita coisa ficou em aberto. Você sabia que Sabotage faz hoje (03/04) 41 anos? Pois é, o biógrafo explicou essa já no ano passado; até a lápide do artista está errada! Mas, ainda assim, mesmo com tantas dúvidas, o melhor lugar para encontrar informações sobre Sabotage é sua biografia e de lá tiramos algumas (…)

Fala mais

Livro Do Sertão ao Hip Hop: Nelson Triunfo e Gilberto Yoshinaga

“Do sertão ao Hip Hop”: a vida de Nelson Triunfo vira livro

por

Quase 6 anos depois de a ideia ter surgido, o jornalista Gilberto Yoshinaga finalmente colocou nas ruas o livro da biografia oficial de Nelson Triunfo. “Nelson Triunfo: do sertão ao Hip Hop” conta a trajetória artística e de vida daquele que é considerado por muitos como o “pai do Hip Hop Brasileiro”; segundo o autor, foram quase 16km. de pesquisas! Dançarino, coreógrafo, músico, ator e pioneiro no uso da cultura de rua como instrumento de educação alternativa, Nelson Gonçalves Campos Filho nasceu em Triunfo, Pernambuco. Mudou-se para São Paulo e passou a carregar o nome de sua cidade-natal como homenagem às suas origens; tornou-se notório no auge dos memoráveis bailes e shows de funk e soul dos anos 1970. – Compre o livro “Nelson Triunfo: (…)

Fala mais

Dughettu realiza rolezinho cultural com amigxs negrxs

“Rolezinho cultural”: rapper reúne 100 amigxs negrxs em shopping para assistir a “12 anos de escravidão”

por

Na última sexta-feira (21), 100 homens e mulheres predominantemente negrxs se reuniram no Kinoplex Fashion Mall 1, no Rio de Janeiro, para ocupar boa parte dos lugares de sessão do filme “12 anos de escravidão”. Idealizado por Dughettu, a ação teve como objetivo, em pleno Dia Internacional da Luta contra a Discriminação Racial, promover o debate sobre a presença dxs afro-descendentes na nossa sociedade, principalmente em locais de luxo. “Juntar uma galera para invadir um shopping que é tradicionalmente elitista, onde a gente quando penetra é sempre a exceção, é uma coisa bacana. É uma experiência importante nessa mudança de consciência da nova geração”, disse ele ao Último Segundo. Ainda de acordo com a matéria, o resultado do encontro foi um (…)

Fala mais

Mulher é baleada e depois arrastada cerca de 250 metros por viatura

por

A violência parece não ter tamanho, um dia depois de publicarmos aqui no site a matéria “A polícia que mais mata em todo o planeta”, reflexão sobre o Dia Internacional Contra a Violência Policial, mais uma vez a sociedade presenciou uma violenta ação policial que resultou na morte de mais uma pessoa, só que desta vez, não bastou ser assassinada, a vítima foi arrastada por uma viatura policial por cerca de 250 metros. Era manhã de domingo (16), comunidade de Congonha,  em Madureira, na Zona Norte o Rio, quando Cláudia Ferreira da Silva, de 38 anos, foi surpreendida durante uma operação policial na região que acabou resultando em uma intensa troca de tiros entre policias e traficantes, onde a auxiliar de serviços (…)

Fala mais

“A polícia que mais mata em todo o planeta”, reflexão sobre o Dia Internacional Contra a Violência Policial

por

Na data de hoje, 15 de Março, para quem não sabe, se comemora internacionalmente o Dia Internacional Contra a Violência Policial. A origem da data remonta os anos da década de 90, quando em Montreal, Canadá, o Collective Opposed to Police Brutality, ou Collectif Opposé à la Brutalité Policière, como também é conhecido, juntamente com o grupo Black Flag da Suíça, decidiram por iniciativa contra ‘todos aqueles que sofreram nas mãos de forças de segurança do Estado’, criar o dia mundial de combate a violência policial. A data ganhou visibilidade internacional quando no ano de 2000, na Suíça, dois jovens foram espancados até a morte pela polícia do país. Quando se toca no assunto “violência policial”, fica impossível deixar o Brasil de fora. O (…)

Fala mais

Ditadura de 1964

O que já deveríamos ter aprendido com a Ditadura de 1964

por

A poucos dias de completarmos 50 anos do golpe de Estado que culminaria numa Ditadura que duraria em torno de 21 anos, existem certos pontos a serem refletidos e lições a serem aprendidas. O cientista político Antonio Lassance escreveu em sua coluna no site da Carta Maior as “sete lições que já deveríamos ter aprendido sobre o golpe de 1964 e sua ditadura”. Entre ideias reforçadas, como de que foi a “pior de todas ditaduras” e que não foi uma revolução como muitos gostam de dizer, mas sim “um golpe e ditadura”, há pontos que pouca gente sabe ou já parou pra pensar. Por exemplo, chamá-la de “ditadura militar” é um erro, visto que o golpismo tinha “partidos direitosos; veículos de imprensa (…)

Fala mais

Escola na favela da Maré

Minidoc mostra violência na favela da Maré/RJ sob o olhar das crianças

por

Nesta quinta-feira (11), a Agência Pública lançou o minidocumentário “Morri na Maré, idealizado pelos jornalistas franceses Marie Naudascher e Patrick Vanier, que foram radicados no Rio de Janeiro. Financiado por um projeto de financiamento coletivo, a produção mostrou a violência na favela Complexo da Maré sob o olhar das crianças e de que maneira ela as impacta. O complexo é um dos lugares mais perigosos do Rio de Janeiro. Para dar uma ideia, em junho do ano passado, durante um confronto, 13 moradores e 1 sargento do BOPE foram assassinados. “Ali ainda não tem UPP; as três facções do crime organizado (Terceiro Comando, Comando Vermelho, Amigos dos Amigos, e também milícia) dominam o território. […] A violência impacta diretamente as crianças, que, (…)

Fala mais

Marshal Eddie Conway

Ex-Panteras Negras é solto após 43 anos; condução do juri foi considerada inconstitucional

por

Na última terça-feira (4), Marshall “Eddie” Conway, ex-integrante do Panteras Negras, foi libertado após mais de 43 anos de prisão. Em 1970, ele havia sido condenado à prisão perpétua por assassinar um policial e ferir outro, crimes pelos quais se dizia inocente. Em 2012, a Corte de Apelações de Maryland decidiu rever casos anteriores a 1980; o motivo: as instruções dadas ao juri na época eram inconstitucionais. Por exemplo, em um caso em que a acusação era obrigada a provar a culpa do réu de forma indubitável, a instrução pros integrantes do juri era de que eles podiam esquecer isso e tomar a decisão por conta própria. Para o caso de Conway ainda outros dois fatores pesavam: a perseguição do programa de (…)

Fala mais

Documentário Eu Pareço Suspeito?

Assista ao teaser do documentário “Eu pareço suspeito?”

por

Na última quinta-feira (27), a Words and Pictures (WAPI) Brasil divulgou um teaser do documentário “Eu pareço suspeito?”. De acordo com os organizadores, a campanha surge “da necessidade de contribuir com a luta antirracista no país e fomentar a conscientização da juventude negra e periférica sobre a importância do combate às diversas formas de racismo, tendo como foco principal o desmascaramento de estereótipos negativos relacionados aos jovens negros e pobres”. Se em 2012 foram feitas ações da campanha com artistas e esportistas, em 2013-4 ela deve ficar ainda mais presente após diversas investidas da polícia contra jovens da periferia terem ganhado grande popularidade; o caso  que originou a campanha “Por que o senhor atirou em mim?” é apenas um dos (…)

Fala mais

Algo do Nada: A Arte do Rap

por

Recentemente, abordamos aqui no site a origem do Hip Hop e seu compromisso histórico sociocultural, desenvolvido em meados da década de 70 nas periferias norte-americanas. Praticamente todos os manos que conhecem a raiz do movimento estão cientes que, historicamente, o Hip Hop possui uma antecedência muito forte de militância dos afro-americanos, onde ativistas como Malcom X, Martim Luther King e até o grupo Panteras Negras deixaram suas marcas na batalha pelos direitos civis dos negros e por melhorias sociais. Frente a toda esta luta nasceu o movimento Hip Hop, e nele foi incluso o Rap, um dos quatro elementos. O documentário norte-americano Something from Nothing: The Art of Rap, ou Algo do Nada: A Arte do Rap, quando traduzido para o português, é uma produção (…)

Fala mais

Fotógrafio Diop recria cenas famosas de filmes com modelos negros

Exposição de fotos questiona “predomínio branco” no cinema

por

Quantas vezes você viu/ouviu algum integrante da cultura Hip Hop questionar a falta de negros nos programas de TV no Brasil ou a representação dos mesmos apenas como escravos e empregados? Muitas, não? Mas este não é um problema apenas do país; é um problema mundial. Quando o assunto não é escravidão, boa parte dos filmes traz brancos como protagonistas. Por isso, o fotógrafo Omar Victor Diop questiona: “Se Audrey Hepburn fosse negra, ela teria estado em ‘Bonequinha de Luxo’?”. Ao lado de Antoine Tempé, o senegalês criou a exposição ONOMOllywood, uma crítica à falta de protagonistas negros no cinema. O convite veio do grupo de hotéis ONOMO International, que serviu de cenário para as 20 imagens; a ideia era recriar cenas famosas substituindo seus (…)

Fala mais

A origem do Hip Hop e o seu compromisso

por

Era década de 70, Estados Unidos, cenário visivelmente caótico nas comunidades negras periféricas, inúmeras pessoas pobres, em empregos mal remunerados, com baixa ou nenhuma escolaridade e muita pele preta. Era o auge do movimento pelos direitos civis dos afro-americanos, Martin Luther King, importante ativista que conseguiu reunir mais de 250 mil pessoas na Marcha sobre Washington por Trabalho e Liberdade tinha acabado de ser assassinado, juntamente com Malcolm X, ex-membro da Nação do Islã e importante personalidade que lutava pela defesa dos direitos dos negros. Naquela época entrava em ação o polêmico revolucionário Partido dos Panteras Negras. A quantidade de movimentos que lutavam pelos negros carregava um grande objetivo em comum: a emancipação do povo afro-americano, que na época ainda (…)

Fala mais

Marighella

Depois de Abdias é a vez de Marighella substituir ditador em nome de colégio

por

Na última sexta-feira (14), o Diário Oficial do Estado na Bahia trouxe uma importante mudança: o Colégio Estadual Presidente Emílio Garrastazu Médici mudara oficialmente seu nome para Colégio Estadual Stiep Carlos Marighella. Com 406 votos contra 128 do geógrafo Milton Santos, o nome do guerrilheiro baiano foi escolhido já no fim do ano passado, mas só agora oficialmente confirmado. “Esses dois nomes já haviam sido sugeridos por outros professores, em anos anteriores. A partir daí, fui apresentando aos alunos a história de Milton Santos e Marighella. Durante todo esse processo, também aprendi muito, já que tive que ler muitos livros e ver filmes. Levei tudo isso para eles, que ficaram bem contentes em saber que os dois candidatos eram baianos, negros e tinham vindo (…)

Fala mais

Porta dos Fundos da dura em policiais

Polícia Militar prova do próprio veneno e defensores ameaçam humoristas

por

Quantas vezes você não levou um enquadro da Polícia Militar apenas por ser quem você é? O quê, você acha isso uma ofensa absurda? Então, você provavelmente é caucasiano, classe média alta e alienadíssimo. Não é preciso nem pesquisar muito para saber que a polícia, principalmente a Militar, nunca foi flor que se cheire no trato com a população periférica; o jovem Douglas Rodrigues e o servente de pedreiro Amarildo que o digam. Entretanto, para a própria PM e seus defensores na Internet, apenas a corporação tem direito de abordar a população de forma violenta, não o contrário. Em vídeo da Porta dos Fundos, os humoristas dão uma verdadeira dura nos policiais, com direito a tapa na cara e tudo mais. (…)

Fala mais

Quem foram os Panteras Negras?

por

Panteras Negras é o nome de um partido negro revolucionário que foi fundado nos Estados Unidos em 1966, e que tinha como base de sua ideologia, o Programa de 10 Pontos, uma espécie de dez bases ideológicas do partido. Em meados do século XX, os Estados Unidos eram um país permeado por práticas racistas contra os negros. Estes tinham lugares específicos para sentar no ônibus, andar nas ruas e locais típicos para frequentar, onde não se misturassem com os brancos. Em meio a discriminação, surgiram alguns nomes importantes para a conquista de direitos civis, sociais e políticos para os negros, como Martin Luther King e Malcolm X, por exemplo. Outros dois importantes nomes para o movimento dos negros nos Estados (…)

Fala mais

1 3 4 5 6 7 9

Powered by themekiller.com anime4online.com animextoon.com apk4phone.com tengag.com moviekillers.com