Sullivan lança música “Coração de poeta”

Atualizado em 13/01/2014

No último sábado, Sullivan, de São José/SC, lançou a música “Coração de poeta”, que contou com o beat de Maka x Beli.

De acordo com o rapper, este é o seu primeiro som mais particular: “falo de evolução, análises da sociedade no meu ponto de vista e sobre estar iniciando a caminhada; completo essas ideias com um refrão bem autoestima, que deixa claro que eu vim pra ficar independente do que pensem.”

“Coração de poeta” foi mixada e masterizada por Efieli.

Abaixo cê confere a letra da música:


Letra:

(Parte 1)
Enquanto o coração pulsa….
O que ele sente faz com que a mente conduza
A mão à escrever
Tormentos, ideias, sentimentos, o que tiver que ser
Algumas vivencias, poucas respostas, muitas dúvidas
Falta de paciência, em silêncio o que se nota? Súplicas
Por uma chance de ser escutado
A minha voz avance, e o que eu quis dizer seja captado
Várias vezes sigo o extintos, mas tem escolha que não compensa
Não usar o cérebro pode acabar ferindo, porque o coração não pensa
Mas parece ser uma das melhores formas pra não agir com frieza
Já que é o único lugar que ainda encontro vestígios de pureza
Ingenuidade acabou, inteligência se aprimorou,
Mas alguns valores foram esquecidos
Por causa da nossa sociedade, a grande verdade
É que já nascemos com o DNA poluído
Vida agitada, pra realizar o futuro tem que estar toda hora correndo
O que mostra que o mais precioso não é amor nem dinheiro, é o tempo
O comportamento ideal seria amoroso, compreensivo e pacifista
Ultimamente o normal é ser venenoso, ofensivo e egoísta

(Refrão)
Rebeldia, ódio, amor, confusão
Alegria, confiança, vigor, disposição
Maldade, coragem, cede de justiça
Pela determinação em uma missão alcançar minhas conquistas

Tenho um coração de poeta
Incompreendido, desiludido,
Mas pronto pra fazer a coisa certa
Vou bater minhas metas
Mesmo que eu esteja preso minha poesia me liberta
Nasci pra fazer isso e não vai ter quem me impeça
Então sai da minha reta! Então sai da minha reta!

(Parte 2)
Mostrar meu potencial, entre cobras prontas pra dar o bote
Enquanto mantenho a sobrevivência
Me desvio do mal, não preciso de sorte
basta ter competência
Tenho aturado algumas situações que vão contra minhas opiniões e princípios
De acordo com as condições e as opções ao que parece ainda to no térreo do edifício
Uma das metas é provar o contrario de algumas expectativas e indícios
E tentar ao máximo me afastar de coisas improdutivas como os vícios
Não me acostumei, nem vou me acostumar em ser submisso a um ser humano
Não me encaixo nessa lei, do meu sorriso só ter haver com o quanto eu to ganhando
Sim! Papeis aqui tem valores! são chamados de reais
E homens enfrentam barreiras e dores só pra poder ter mais
É meio contraditório condenar e bater na mesma tecla
Já que em função do capitalismo todos e encaixam nessa regra
Acontecimentos ao meu redor é o que me inspira
Seja felicidade ou indignação
De repente palavras transbordam na mente junto com adrenalina
Eis uma nova composição
Não sei qual a reação de quem escuta, ou se causo algum tipo de impacto
As razões são muitas, por elas sempre faço meu máximo
Pra impor com liberdade as ideias que eu tive
É que o coração de um poeta tem uma finalidade
Ser cada vez mais livre! Cada vez mais livre!

(Refrão)
Rebeldia, ódio, amor, confusão
Alegria, confiança, vigor, disposição
Maldade, coragem, cede de justiça
Pela determinação em uma missão alcançar minhas conquistas

Tenho um coração de poeta
Incompreendido, desiludido,
Mas pronto pra fazer a coisa certa
Vou bater minhas metas
Mesmo que eu esteja preso minha poesia me liberta
Nasci pra fazer isso e não vai ter quem me empeça
Então sai da minha reta! Então sai da minha reta!

seja o primeiro a comentar

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.