Realidade Cruel lança a música “Tarde Demais”

Atualizado em 06/01/2016

Após gravar CD e DVD ao vivo, o grupo Realidade Cruel lançou a música Tarde demais, em parceria com a cantora Nicole Nobre.

Atualmente composto por Douglas RC, Léo RC , Karol RC e DJ Bola 8, o Realidade Cruel é um dos maiores representantes do RAP Brasileiro em todos os tempos.

Recentemente, o grupo gravou show com inúmeras participações de peso, na Gangsta Paradise 3. Aliás, show este que se transformará em DVD e CD ao vivo, previstos para dezembro.

A música Tarde demais, que foi apresentada durante o show junto com outras duas músicas inéditas, foi lançada na internet há poucos dias e foi imediatamente aceita pelos fãs.

Abaixo cê confere a letra e o download oficial da música:

Letra: (Achou um erro? Ajude-nos a corrigir nos comentários!)

Você se foi e nem sequer se despediu de mim
Olhou pra trás, sinalizou, a vida é assim
E vi, a porta bater, o coração apertar
Olhei pra foto do rack, escutei seu carro ligar
E as lembranças foram mais que inevitáveis
Cinemas, pipocas, praias, praças, parques
Seu sorriso enfeitiçando minha retina
Seu andar, sua pele que ainda me alucina
Como fascina seu eterno jeito meigo de ser
Sinto uma brisa com meu ego ferido e ter
Apenas dúvidas, apenas lágrimas
Ver rompida a nossa história aqui, era mais que mágica
Quantas vezes ouvimos “vocês são o casal perfeito”
Quantas vezes jurou amor com o lado esquerdo do peito
A recíproca verdadeira, lembro nós a sós
Fazendo amor a noite inteira
Ditado é claro, ninguém chuta cachorro morto
Nessa história, o errado hoje sofre em dobro
Sentir que não valeu a pena nada disso
Meu desrespeito, minha falta de compromisso
Minha mãe sempre dizia
“Não faça a ninguém o que cê não quer pra sua vida”
A vida é um carrossel, ficou claro
Muitas vezes, o gosto do mel é amargo
Olha o olhar desse pobre aqui no espelho
Sinceramente, não acredito no que vejo
Bateu a dor e a saudade é inevitável
Ainda escuto a partida do seu carro

Não deixa pra dizer que me ama, depois que eu for embora
Vou sofrer demais
Não deixa pra dizer que me ama, depois que eu for embora
Pode ser tarde demais
(x2)

Você cobrava de mim, no fim, querendo saber
Aonde eu fui, com quem eu tava e qual era o rolê
E que amiga eu não tinha, que era tudo interesse
Por causa das jóias nos carros, nos bolsos, as verdes
Várias vezes falava, quando eu saía pra rua
“Não troca a fiel de casa pelas falsas e vagabundas”
Eu nas madrugadas, em boates, gastando nas farras
De perfume importado, nas mesas, garrafas
De whisky, vodka, energético
Como era da hora, o malandro predileto
Os polícia volta e meia extorquia, quem diria
Que os vermes entravam em choque, todo dia tremia
Queria oportunidade, mas nós não dava
Era o certo pelo certo, como corte da navalha
Claras as ideias, como a cor da nuvem
Um mano que um dia encostou pagando de rude
Que era do corre, que era de mil grau
Que fechava na baixada e também na capital
Senhor, por tão pouco caguetou
Quando fui pra trancar, só você que se importou
De volta no raio, com radinho no esquema
E suas cartas desenhadas com flores, poemas
Meu bem, e a notícia que fez estremecer
Você será papai e seu filho vai amar você

Não deixa pra dizer que me ama, depois que eu for embora
Vou sofrer demais
Não deixa pra dizer que me ama, depois que eu for embora
Pode ser tarde demais
(x2)

Minha porta bateu e a batida foi forte
Tão forte que vi as luzes se apagando do poste
Em meio a barulhos de caos e vidros quebrados
Lembrei do meu filho, me fez lembrar o dia do parto
Você ali, o seu olhar que brilhava
No banco de trás e a cadeirinha toda revirada
Calada, e o caminhão com as roda pra cima
A vizinhança assustada, aos poucos se aproxima
Não vejo bebê, só suas lágrimas que escorrem
Aos poucos, fico louco ali pressentindo algo mais forte
E grito alto, mas você nem sequer responde
Cadê o choro do meu filho chamando à noite
Clamando assim “papai, vem deitar comigo”
Tá tudo estranho, meu Deus, eu não acredito
Socorro vem e logo começa o resgate
Não acredito no que vejo em meio às ferragens
Aquela que sempre amava, que era sempre minha vida
Nem sequer ao menos se mexe, ao menos respira
Olho os seus olhos abertos, meio me encarando
Sinto uma angústia, um remorso, um sentimento estranho
Os paramédicos perguntam se eu sou o pai
Respondo que sim, calado, um de perto sai
O outro vira e me fala de forma cautelosa
Que a vida é mais que misteriosa
E que nem sempre todas rosas são rosas, entende?
Porque Deus é quem sabe de tudo e às vezes
Os anjos vêm, os anjos vão
E pra quem fica resta apenas dor e solidão
Eu gaguejo e já chorando fixo olhar nele
Por favor, não acredito no que vejo em minha mente
Entro em pane, o raciocínio fica lerdo
O que ontem pra mim era o céu, hoje aqui vira o inferno
Incrédulo, jamais apenas queria ouvir o choro do meu filho
E minha mulher sorrir, qualquer reação, sei lá, um suspiro
Essa dor que tem gosto de infinito
Parece que é um pesadelo e eu já vou acordar
Por favor, para tudo, tá faltando ar
Caiu a ficha quando alguém vem e diz “Meu Deus!
Seu filho não resistiu, morreu!”

Não deixa pra dizer que me ama, depois que eu for embora
Vou sofrer demais
Não deixa pra dizer que me ama, depois que eu for embora
Pode ser tarde demais
(x2)

DOWNLOAD OFICIAL

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *