Rafa conta sua história em emocionante novo clipe do Rafuagi, “Cartas do meu passado”

Nesta terça-feira (10), o Rafuagi manteve a série de lançamentos no décimo dia de todo mês com o clipe da inédita “Cartas do meu passado”, dirigido pelo Rafa.

Aliás, esta música é mais do que especial pra ele. Além de compor e cantar solo, o som traz muito da sua própria história. Não à toa, boa parte das imagens mostradas foram retiradas de arquivos pessoais, percorrendo desde sua infância até os dias atuais.

Pra completar o tom emocionante, o vídeo ainda traz filmagens feitas na participação do grupo no “Direito no Cárcere“, um projeto da advogada e jornalista Carmela Grüne que realiza, na Galeria E1 do Presídio Central de Porto Alegre, atividades culturais com os detentos em tratamento de dependência química (saiba mais aqui!).

Leia mais:
– Beatstória 2: Marietti Fialho apresenta “Cartas do meu passado″, música do Rafuagi;
– Rafuagi divulga capa do novo disco, “Parte do ciclo”.

“Cartas do meu passado” foi produzida pelo próprio Rafa, co-produzida pelo Pedro DOM, mixada e masterizada pelo Luiz Café; a faixa integrará o CD “Parte do ciclo”, que deve ser lançado em julho deste ano.

Abaixo cê confere a letra da música:

Cartas do meu passado, estão jogadas na gaveta
Escritas a caneta, empilhadas com as letras
Do antigo caderno, to tempo do colégio
Passado imperfeito, perfeito, pretérito
Junto as fotos, “how”, dos amigos chegados
Parceiros aliados, irmãos de vários lados
Cd’s, Dvd’s, K7’s de aniversário
Do tempo em que os malandros eram a Gang do Berçário
Eu, sigo ligado, observando a tudo
Sem agir no impulso, na gaveta eu vi uma parte do meu mundo
Por um segundo sentimentos misturados
Flash’s, fados, um filme montado
Amores que chegam, amores que vão
Dor, desilusão, felicidade, união
Será que é bom pra mim? Ver tudo isso assim
Sei lá mas eu mexi, chorei e me diverti!

Refrão (2x)

Amores que chegam, amores que vão
Valores são como flores, ao vento caem no chão
E quando tudo passa, vira recordação
Guardadas na gaveta para histórias que virão.

Gaveta aberta, sem drama, sem grana
Moeda do corre é investida na corrida
Desde o primeiro trampo até chegar, Esse é Meu Lugar
Se contabilizar, foi muita coisa a se pagar
Valeu o esforço, do povo do meu lado
Uma pá de adesivo na caneta colado
Comprova o nome, o plano, a data e a conexão
O verdadeiro sentido na verdadeira missão
Se a vida é desafio, eu sei nós vamos enfrentar
Se a vida é evolução, eu sei nós pode chegar
Se a vida é emoções, nós é, fortes corações
Pros muitos momentos, que viram recordações
Da caneta vazada, na mochila manchada
O objetivo é um só, estar preparado na estrada
Aí, vou ter que sair, e essa gaveta fechar
Se pá até refletir, ouvir Caetano cantar…

(Sample – Sózinho, Caetano Veloso)

Refrão (2x)

Amores que chegam, amores que vão
Valores são como flores, ao vento caem no chão
E quando tudo passa, vira recordação
Guardadas na gaveta para histórias que virão.

seja o primeiro a comentar

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.