E quando começaremos a abordar os policiais?

Atualizado em 20/02/2019

Oficial da PM dá ordem para abordar "negros e pardos"
Imagem do Diário de S. Paulo que viralizou.

Eu não sou nem negro, nem pardo. Eu gostaria de deixar isso bem claro já no início do texto pra ninguém pensar que estou escrevendo pra puxar sardinha pro meu lado ou de forma parcial. E nem sou daqueles caras que são negros, mas se dizem brancos por vergonha, não. Sou branco da cor do papel!

Mas não é preciso ser o ofendido para sentir a ofensa. Ainda mais quando ela é tão exagerada que parece ser de mentira. O racismo existe desde sempre, mas quando ele aparece dessa forma vindo de alguém que devia combatê-lo, chega a assustar. Não à toa, a foto em questão ganhou muita visibilidade nas redes sociais.

Ok, vamos aos fatos. Sim, a polícia tem o direito de receber uma descrição de um criminoso e abordar pessoas que batem com essa descrição, mas deveria existir um certo limite. Não é possível que a descrição de cor seja suficiente para colocar um grupo de policiais abordando todo mundo. Ou melhor, todo mundo não, apenas os “negros e pardos”.

E esse é o pior problema. Se já não bastasse o fato de aceitar apenas a cor como descrição, isso só acontece se não forem brancos. Ou vocês acham que se os indivíduos fossem descritos como “brancos”, eles iam sair por aí abordando todos os brancos? É claro que não!

É de um racismo vergonhoso e o máximo que vai acontecer é eles aparecerem com uma nota dizendo que os oficiais de justiça em questão foram afastados, o que a gente nem consegue ter certeza se é verdade ou não. E, caso isso aconteça, será apenas porque muita gente questionou o caso.

Esse abuso de poder é algo fora do comum no País. Aqui, se um policial te agride, você só consegue algo se filmar aquilo porque a chance de o policial dizer que você o agrediu antes e foi em legítima defesa é enorme. A injustiça de a violência vir daqueles que deveriam nos proteger é repulsiva.

Tudo bem, os policiais ganham muito menos do que deveriam pra fazer um trabalho decente, mas o povo também ganha muito menos que deveria e nem por isso desconta nos policias.

Quantas pessoas (em sua grande maioria pobres ou “negras ou pardas”) já não apanharam ou sofreram algum tipo de represália por apenas olhar torto pra um policial ou algo até menor? E quantas vezes os policiais não distribuíram xingamentos e agressões e as pessoas não puderam fazer nada, senão poderiam ser acusadas de desacato?

No mínimo, deveríamos ter o direito de questionar os policiais sobre suas ações. E não diga que isso já é possível, pois na grande maioria dos casos em que há um questionamento mais contundente, mesmo que educado, há uma resposta agressiva, insultadora e até violenta.

Aliás, na próxima vez que um policial partir pra violência sem causa e quisermos descobrir qual deles foi, será que poderemos descrevê-lo como “policial” e abordar cada um deles?

3 Comentários

  1. Adriano Damasio
    26/01/2013
    Responder

    Cara, essa foi uma notícia sensacionalista barata, eles estavam se referindo a um grupo de 4 ou 5 pessoas, se não me engano, que eram criminosos e por acaso negros ou pardos e que se estivessem em atitude suspeita poderiam ser abordados. Descontextualizaram a notícia, omitiram fatos. Não há nada mais racista do que essa notícia. Claro que não me refiro a você e sim aos reais autores dela.

    • Sem dúvida que o foco da notícia é exagerado pra vender jornal. Mas, a questão é: se fossem brancos, mandariam abordar todos os brancos? Um peso e duas medidas soa como preconceito.

  2. 27/01/2013
    Responder

    eh verdade temte falar perto de um policial que a policia eh ruim
    eles vao te esculachar ficam revoltados quando questionados sobre sua profissão
    e na moral a maioria não presta mesmo!
    tambem sou branco e ja sofri muita repressão deles porque ouço rap, pq ando de moto, pq to num bairro pobre, pq eles são autoridade.
    acho que a policia como um todo eh muito despreparada e tenho vergonha de um dia quando era criança ter pensado em ser policial!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.