Projota e DJ Caique lançam música “Eu sou livre”

Atualizado em 06/01/2016

Com um estilo um pouco diferente de fazer seu RAP, Projota apresenta a música Eu sou livre e destaca situação precária do povo brasileiro. A produção é de DJ Caique.

Também beatmaker e editor de alguns de seus vídeos, o rapper acrescentou ainda mais ao seu repertório: um RAP mais cantado, mais melódico do que falado.

Depois de ficar uns 8 meses “sem novidades”, Projota lançou no mês passado a música “Eu sou problema” e agora mantém forte a sequência com Eu sou livre.

Abaixo cê confere a letra da música:

Letra: (Achou um erro? Ajude-nos a corrigi-lo nos comentários!)

Nos deixem em paz, saiam de retro
Leva seu mal pra outro lugar
Lá dentro da cadeia tem um mano sem perspectiva
A alma segue viva, mas não sabe mais sonhar
Mais uma vela acesa pra abençoar quem vai
Mais um lenço molhado pela lágrima que cai
É toque de recolher pra casa, é toque de recolher
Senhor, nos mande então o toque de acolher
Eu piso macio nesse chão pra não fazer barulho
Durma em paz porque o pesadelo que se vê aqui
Não dá pra acordar pra fugir, te assustaria bem mais
Criança não chore, não diga não
Não diga perdão se não tiver culpa
Seja um vencedor, pois esse é o seu direito
Depois, olhe o seu prefeito e diga: “chupa!”
Porque, porque…

Lá, onde a miséria não demora chegar
Onde a ganância vem pra te instigar
Menino novo chega a falar: “me diz quem eu tenho que matar”
Olhem pro povo, democracia é mais que votar
E hoje o grito da liberdade, nessa cidade, vai ecoar
Pois eu sou livre!
(Eu só quero poder dizer que…)
Eu sou livre!
(Me dê a chance de dizer que…)
Eu sou livre!
(Pela raça, pela glória, pela honra, vem…)
Eu sou livre!

Às vezes, paro, penso e peço ao mundo
“Me dê o poder de te mudar de uma vez”
Sobe o preço da água, o preço do pão
O preço de tudo, mas não sobe o salário de vocês
E mesmo se eu fosse um gênio e falasse todas as línguas
Eu seria um nada se não sentisse dor
Louco é o homem que fala sozinha, que fala nada com nada
Não, louco é o homem que não conhece o amor
E entre muito ra-ta-ta e pow-pow-pow e salvação num campo de futebol
E entre muito blábláblá, eu vou, vou, vou
Sempre buscando meu lugar nesse sol
A gente aqui sempre planta, colhe, come, planta, colhe, come
Quando cai, esse meu povo levanta, cai, levanta, cai, levanta e vai
Sempre tem outro pra querer derrubar
No olhar de um político, eu vi muito mais maldade
Do que no de um assassino a sangue frio
Significa que temos assassinos seriais direcionando os rumos do Brasil
Pedófilos, estupradores, matadores de meninos de 10 anos
Levando um por um todos os meus manos
Eles causaram todas nossas dores, nossos danos
Reunião: “E aí, família, como nós cobramos já que…”

Lá, onde a miséria não demora chegar
Onde a ganância vem pra te instigar
Menino novo chega a falar: “me diz quem eu tenho que matar”
Olhem pro povo, democracia é mais que votar
E hoje o grito da liberdade, nessa cidade, vai ecoar
Pois eu sou livre!
(Eu só quero poder dizer que…)
Eu sou livre!
(O meu povo só quer dizer assim…)
Eu sou livre!
(Pela raça, pela glória, pela honra, vai…)
Eu sou livre!

seja o primeiro a comentar

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.