O clã lança a música “Nóisforia”

Atualizado em 14/01/2014

Na última quarta-feira (30), O clã, de Goiânia/GO, lançou a música “Nóisforia”.

De acordo com o grupo, o nome do som é uma “brincadeira com a palavra Euforia (Eu+Foria = Nóis+foria)” e a letra “conta em primeira e terceira pessoa a vida de alguns amigos que se atrasaram em droga e não perceberam”; esta é a primeira do grupo gravada em estúdio.

“Nóisforia” foi mixada e masterizada pelo DJ Césio.

https://soundcloud.com/o-cla/o-cl-n-isforia

Letra:

(Bike)

De vinte em vinte, já percorri a minha trilha
Podia ta de HB20 mas me atrasei na farinha
Mas de nada me arrependo, foi minha escola da vida
Aprendi ver os de verdade, dispersar dos de mentira
Na rua varias madruga, overdose de pensamentos
Minha mãe nas orações e o meu nariz escorrendo
No outro dia tinha que trampá, é fato que ia faltá
Na onda num dava nada mas espera ce acordá
Ei truta a corde novo, mais velho vai ficar osso
Na onda o tempo voa ai é faca no pescoço.

(Pedrin)

Tamo ai praquela idéia, cada tema uma platéia
Falando do seu fim trágico e também da sua estréia
Ideia certa, sem licença já entro na sua mente
Bang que consome, envolve mais que mil entorpecente
O pó magico transforma, te faz um anormal
Na fissura confunde coca até mesmo com pó royal
Nessa notas se enrolam o cartão já ta na mão
Prepara a narina aspirador pronto pra ação
Viaja não firma, não caia nessa arapuca
Cê é meu tru, sua mãe num é puta, céu e inferno por você tao na disputa
Seu sépto derrete chora implora por farinha
Narina do robocop montada só na platina
Então acorda porque amigo é aquele que diz que não
E fella é aquele que põe mais um e fala que é bão

(Mahatma)

Me olho no espelho, não me reconheço
Mais uma noite que eu sei que eu vo virar
Notas enroladas, eu sei que eu não mereço
A 200 por hora sem intenção de freiar.
Vejo ódio e rancor, não sei oque que vira
Usando o nariz mais que tamanduá
Se perdeu, no canhâmo, no pó de safira
Quero ver, quem é que vai sobra
Quantos truta, na trilha, se perdeu enfim
Seguiu caminho torto, encontro seu fim
Mundo louco que alicia, perfeitamente né
Te tira da familia te transforma em um zé
Dinheiro esvaindo, depressão normal
Vida subtraindo, onda anormal
Eu comigo memo, mente que me sufoca
Não entendo o meu erro, sei que é a coca
Deitado, cansado mas sem tempo pra pensá
Ligação dos aliado, vai passar pra me buscá
Ai ja era ninguem mais vai me segurá
A noite é pikena, to viveno pra somá

(Ópio)

Começa o jogo, onde você é o perdedor
Parecia inofensiva, mas te dominou
Atraente até umas hora, mas mata quem deve
Na rua é chamada de branca de neve
Destroi familia e faz dependente
Viciado na adrenalina e na onda envolvente
Que na locura do vicio machuca quem ama
Perdeno noites e noites em claro na cama
Afunda o nariz, e arrebenta com a vida
Fazendo a mãe chora e a familia sofrida 
Dependencia maldita que faz da vida um jogo
Onde você vai perder fica o recado denovo

seja o primeiro a comentar

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.