Faíska lança música “Memórias do 5º andar” com Predella, do Costa Gold, e Maikin

Atualizado em 13/05/2014

Na última quinta-feira (1), Faíska lançou a música “Memórias do 5º andar”, que contou com as participações de Predella, do Costa Gold, e Maikin.

Com beat do El Lif e produção musical do próprio Maikin, o som, gravado de forma caseira, faz uma brincadeira com a expressão “5º andar” ao referenciar tanto um possível local que guardam na memória e também uma homenagem ao extinto grupo “Quinto andar”, que lançou nomes como Marechal, De Leve, Shawlin e Xará.

Abaixo cê confere a letra da música:

Vivo perdido nessa cidade me vi, rondando essas margens
pelas avenida escura a procura de algo que me, mate
eu vejo que era vontade fi, necessidade ou tensão
minha indiferença a sua postura não é sinal de aceitação
noites de são paulo frio saudade bate a porta
terra da chuva fina onde essa solidão me conforta
dispenso a esperança morta, a cena corta e o filme para
faço uma assimilação do tanto que a vida é cara
entre altos e baixos,goles e tragos lembro
quis apagar do calendário o 4 de setembro
um dia que nasçe se antes assim fosse foda-se suas leis
não posso me basear somente em provérbio chinês
vou, transformar essa escasses e me livrar do que ofusca a visão
o que cega a retina ou mantém a rotina perto de um surto certo em vão
término da sessão, claridade invade eu me dispesso 
tudo seria mais perfeito se eu não fosse um réu confesso

Refrão: Eu vim só, pra tenta entender o que aconteçe
motivo de, tanta preucupação tanto stresse
formado numa anti-tese , que a vida não tem reprise
vê quanto os dois lado pesa se presa por paz ou crise? 2x

Maikin:

na maior selva urbana da terra prometida,
a alto frequencia te causa eloquencia
uma raiva contida.
sem referencia, sei diferenciar…
quem canta pra subir
quem é aparencia…
experiência fortalece essência
irreverencia é ter própria autoria da sua existência
paciencia persistencia gera resistencia
o que voce chama destino eu chamo consequencia
pensa,
voce não possui um corpo e tem uma alma mano
você tem uma alma e possui um corpo nesse plano
mundano que sigo mudando de ano a ano
e cada escrita é um ritual
ajudando evoluir a escada evolutiva espiritual,
cada rima subjetiva pra um mundo material,
vo afundo nos versos profundos pra mudar o superficial,
tal qual sou julgado fora do padrão normal
não tenho dona,não tenho grana
não sou dono da dama que eu amo normal meu bem
joão que amava maria que era amiga da teresa
que não amava ninguém,tem sempre um porém
na madrugada paulista quem não arrisca não conquista
a solidão na pista ja é característica
persista e não desista no seu sonho se não hasta la vista
sigo compondo e componho…

Refrão : Eu vim só, pra tenta entender o que aconteçe
motivo de, tanta preucupação tanto stresse
formado numa anti-tese , que a vida não tem reprise
vê quanto os dois lado pesa se presa por paz ou crise? 2x

Predella:

Eu vim, de São Paulo/SP chefe.
Fala pra tu… Que aqui se perde in dislize.
Sim, vira um dim é a cota dos muleque.
Vendendo crack noiadão de R-15..
Facim, assim.. Que firam e vários vão ir,
Quantos mais o monstro Gi-Gante, quiser.
É Bussines, express, businas, usinas.
Gira você respira luz e nas..
Calçadas sãos 2 Milhão de sonhos,
Os espíritos benigno e os demônio mais medonho.
Brazillian Dream só no sapatinho ponho.
Toda minha lembrança bem nostálgica da cidade pequena,
Saudade dessa “Adrena”
Transporte em Mogi, sorte pra ir ê o cangote da morena fi…
Observei e absorvi:
As coisas eram mais fácil quando você tava…
E eu pagava minhas conta ainda sobrava pra sair.
Fumava mais Haxixe e nem vendia, 
Nem metia o Drug’Dee.
Noites de São Paulo a dias sem dormi.
Um brinde a todos magos que não vivem mais aqui.

seja o primeiro a comentar

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.