Emicida critica BBB, mas defende Slim: “prova de que a poesia se mantém viva independente da alienação”

Na última sexta-feira (28), Emicida publicou em seu Facebook um texto sobre a participação do Slim Rimografia no Big Brother Brasil 14, que havia terminado com sua eliminação no dia anterior.

Com uma diferença de idade não tão grande, os dois já se trombaram inúmeras vezes na cena paulistana de RAP. Aliás, muito antes da participação do Emicida na música “Canto da vitória”, este já citava o outro na “Só isso”, que integra sua primeira mixtape, lançada em 2009.

Leia mais sobre Slim no BBB:
– Slim Rimografia é eliminado e público protesta: “Boninho, enfia seu BBB no cu”;
– Slim repreende participante do BBB por injúria racista: “e branco não tem cheiro?”;
– 10 tweets que já fizeram a entrada do Slim Rimografia no BBB valer a pena.

“Dentre as voltas que o mundo dá, pude acompanhar de perto cada passo na luta dele, a evolução como produtor, o nascimento de seu selo mokado records, que também inspirou minha Laboratório Fantasma, seu corre pra fazer seu nome e sempre trazendo nomes novos junto, fortalecendo o meu inclusive numa época em que eu não tinha a visibilidade atual”, escreveu.

Emicida não esconde sua admiração por Slim e o respeito por ter tido a coragem em participar de um programa com tanta exposição; a mesma sinceridade de sua declaração em favor do colega também é aplicada em sua opinião sobre a atração da Rede Globo.

“Não acho que o silicone venceu a poesia, como disseram, acho que ele é a prova de que a poesia se mantém viva independente da alienação. Acho BBB uma merda, chato demais, cada um tem um gosto e o programa não satisfaz o meu, minha fé não foi pelo BBB, ou pela globo, foi pelo guerreiro que há anos luta firmemente pela cultura Hip Hop na rua”, concluiu.

seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.