Em homenagem a Sérgio Sampaio, Dropê lança música “Bloco na rua” com Ramonzin e Nissin, do Oriente

Atualizado em 09/01/2016

Na última terça-feira (8), Dropê, do Comando Selva, lançou a música “Bloco na rua”, que contou com as participações de Nissin, do Oriente, e Ramonzin.

De acordo com o rapper, o som é uma homenagem a Sérgio Sampaio, considerado um dos “malditos da MPB”; a referência é ao disco “Eu quero é botar meu bloco na rua”, lançado pelo cantor na década de 70.

Faça o download oficial da música “Bloco na rua”.

“Bloco na rua” conta com o instrumental de Goribeatzz e Shock no baixo; a música integrará o CD “Entre nós”.

Abaixo cê confere a letra da música:

Nós somos uma massa sólida
Descemos a ladeira tipo lava quente
Destilamos o deleite de estar presente
Existindo em sintonia com o espaço físico

Cantamos em coro, rumo às incertezas
De um dia de sol que ilumina a copa das árvores
Pois somos frutos da imaginação de um louco Deus
Louco Deus…

Só nos resta vibrar o dia e sua excelência
Abraço, beijos, sorriso, eterno presente hino
Botar o bloco na rua desocupando o marasmo
Unir forças e mostrar que o certo é pra ser mudado

O novo já nasce velho, cantigas resampleadas
Vem ver a banda passar tocando a retropicália
Caminhando junto ao tempo e aos quatro elementos
O manicômio é aqui mesmo mano, então melhor vir 100%

Quanto mais obstáculo bota, mais alto a gente pula
Sem auxílio, apoio, patrocínio ou ampola
Vontade de ser colaborativo, regenerativo em sua relatividade
RADIOATIVIDADE!
Pra nas ondas do rádio geral ficar na atividade
Dos nativos aos indivíduos da cidade

Cada vez mais perto de você
Pra cada vez mais perto de mim
Cada vez mais certo de vencer

O BLOCO VAI PASSAR POR AQUI
O BLOCO VAI PASSAR POR AÍ

* Part. Nissin 

Se reconhece o que é legitimo pela força do grito
Vou pra rua, penso, questiono, logo existo
Existimos, coexistimos, insistimos 
Fazemos canções e transformamos hinos
Pela lágrima e pelo suor 
Pelo sentido da vida que liga tudo ao amor
Pelo pólem da flor que perfuma o saber 
Pelo presente dividido divino poder viver

A palavra traz perguntas 
O silêncio traz respostas 
Dois braços, duas pernas, uma mente disposta 
Corre atrás do que é seu mano 
Aqui o tempo nao passa, é nós que tamo passando 
E quem nunca errou que taque a primeira pedra
Partes de um ciclo que uma hora se encerra… 
A natureza nunca erra
A terra não é do homem, o homem que é da terra.

(Refrao 2x)

Somos uma massa sólida 
descemos a ladeira tipo lava quente
destilamos o deleite de estar presente 
existindo em sintonia com espaço físico.

*Part Ramonzin:

Carnaval da insânia 
Ansiedade inflama
Vontades no regalo da infâmia
Eu digo o que aprendi com cada casta
Com os fracos e com os cascas
Vi que herdei
A tendência pra cizânia
Me chamam de vadio 
Ei! Mostro minha zona
Entra no meu balaio 
Que eu inflo teu vazio
Sente a malandragem
Os pela nos rifa
Se os lek tem cifra 
As mina tem padrão fifa
Convenção moral, indução, vendaval
Luxúria e seu escopo
“corpo capital”
Pertubando o sono do injusto
Trocando ideais, vem pra rua 
Sente a reação do jovem audaz
Nós somos…
Guerreiros anônimos
Poetas autônomos
Conheço bem as ruas 
por que são meus cômodos
delas somos donos e…
vamos rir, de…
tudo que passamos pra chegar até aqui!

O bloco vai passar por aqui
O bloco vai passar aí
O bloco vai passar por aqui
O bloco vai passar por ai! 

seja o primeiro a comentar

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.