Deixa a vida me levar – Lancelot & God G (part. Kamau e Luanda Cozetti)>

Atualizado em 09/01/2016

Quebrar barreiras e ultrapassar fronteiras é uma das grandes qualidades do RAP Brasileiro. Sem se importar com a distância e a diferença das culturas, Kamau participou da música “Deixa a vida me levar“, de Lancelot & God, do cd “Ponto de Vista“, da dupla portuguesa. A música tem ainda participação de Luanda Cozetti e produção de Dj Scotch.

Segundo o site H2Tuga, “Ponto de vista” é o primeiro álbum de Lancelot & God G e foi lançado pelo “Home Makers“, estúdio independente composto pela dupla e DJ Scotch. Além de Kamau e Luanda Cozetti, o cd ainda conta com Reptile (Angola), Tamin, S.P., Cali Flow (Flow 212), Celso Opp e Fred Mineiro.

Capa do cd "Ponto de Vista", da dupla portuguesa Lancelot & God G

Primeiramente, vale ressaltar a união do RAP Português com o brasileiro. Aliás, ir além da fronteira é bom independente dos países que se juntem. Não só por fazer o trabalho chegar a muito mais pessoas, como também por mostrar que o RAP é união. Por mais que sejam culturas diferentes, os sentimentos são muito parecidos, afinal, a música verdadeira é linguagem universal.

A música “Deixa a vida me levar” é uma adoração à vida. Agraciados pela voz de Cozetti no refrão, os rappers retratam seu esforço no dia a dia, no trabalho, e agradecem o fato de estarem vivos e fazendo sua parte. Como dissemos, embora a cultura seja diferente, a filosofia de vida de um rapper brasileiro e um português soa bastante parecida. Além da presença do Kamau, ficou bonito o nome da música e a referência ao Zeca Pagodinho.

Abaixo cê confere a letra da música:

Letra: (Achou um erro? Mande a correção nos comentários!)

Deixa a vida me levar, vida leva eu
Só não vou sozinho, comigo também os meus
Sou feliz e agradeço por tudo que Deus me deu
(x2)

Deixo a vida me levar, vida leva eu
Sou feliz e agradeço por tudo que Deus me deu
Como Zeca Pagodinho, o RAP é meu pagode
Eu trilhei o meu caminho, num ninho muito pobre
Decentemente nobre, que me cobre como um véu
O mundo é meu, nigga, o mundo também é teu
A vida eu jogo, e como tal também tem regras
Este telhado é de vidro, então não jogues pedras
Porque ninguém é perfeito
Aproveita a vida e leva a vida do teu jeito
Liberta essa angústia que carregas no teu peito
E solta o grito de vitória
A vida é uma linha torta, escreve certo a tua história
E joga a tristeza pra fora
Da luz da tua alegria
A vida é muito curta, qualquer dia é último dia
Ergue a taça e celebra comigo
Pois tô feliz, nigga, por mais um dia vivo

Deixa a vida me levar, vida leva eu
Só não vou sozinho, comigo também os meus
Sou feliz e agradeço por tudo que Deus me deu
(x2)

Eu também vim de passagem, mas não to a passeio
Conduzo pra que o pão de cada dia tenha recheio
Tempero cada vitória com o sal do meu suor
Sem nunca me esquecer de agradecer o Maior
Pelo dom, por cada dia que eu respiro e transpiro
Cada detalhe dessa vida que eu enxergo e me inspiro
Cada madrugada fota e um retorno tranquilo
E pelo sexto sentido, pra me livrar de vacilo
Se eu me perco é aquilo e a vida vai me cobrar
Meu dever é aprender o que ela quer me ensinar
Pra viver como eu quiser, sem ninguém pra multar
Viajar pra onde der e ter praonde voltar
Pra valer quando eu contar e me filho se orgulhar
Pros amigos pode dizer “o meu pai é aquele lá”
Eu valorizo os momentos que passarei por aqui
E quando for me despedir, posso dizer que vivi

Deixa a vida me levar, vida leva eu
Só não vou sozinho, comigo também os meus
Sou feliz e agradeço por tudo que Deus me deu
(x2)

Eu escrevo, *
Meu RAP, já não arrisco o pescoço
Nem ofereço o corpo às balas, quero minha grana no bolso
Ouço, a vida leva por caminhos que desconheço
E as bençãos que Deus mandar, nem tenho certeza se as mereço
Contudo, aceito e agradeço; ajoelho e rezo um terço
* peço que tudo volte a ser como no começo
Um por todos e todos por um
Ninguém atrás, ningué à frente
* e juntos estendemos as mãos para o próximo
Penso assim, de modo generoso
Mas o vosso ódio montou uma ponte * furioso
Com tudo e todos, mas acalmei os meus modos
No dia 5 de março, quando * nasceu e olhou bem dentro dos meus olhos
Minha imagem, meu legado, meu futuro, meu passado
Meu presente, sou pai *
Meu primogênito, meu soldado
Por ti, mantenho me calmo e ignoro as tentações
Provocações de quem me invejam, hoje não me tornam bravo
Alinhei os chakras e tracei o objetivo
Erguer a taça e celebrar por cada dia que eu vivo

seja o primeiro a comentar

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.