5 coisas que o seu negócio pode aprender com um rapper

Atualizado em 23/04/2014

Este post é uma tradução e adaptação do post “5 things your business can learn from a rapper“, que foi postado no Mashable, por Erica Swallow.

Inspiração profissional pode vir de qualquer lugar, mesmo dos lugares menos esperados. Este mês, eu fui inspirada pelo conselho de um rapper a startups.

Historiador do hip-hop, tecnológo musical e fundador da banda de hip hop “Stetsasonic”, Glenn K. Bolton, conhecido como Daddy-O, recentemente falou sobre os paralelos entre desenvolver artistas de hip-hop e startups durante sua apresentação na “Geekend 2011”, uma conferência tecnológica oferecida pela BFG Communications.

Os conselhos de Daddy-O aos rappers esperançosos e às startups eram impressionantemente parecidos. Como um rapper de sucesso, as experiências próprias de Daddy-O deram verdade às suas palavras.

Leia mais:
– O CEO Notório: 10 mandamentos de Biggie Smalls para o seu negócio;
– Co-fundador do Reddit cita Jay Z como modelo de empreendedor; veja o que você pode aprender com ele.

Inspirados por sua história e conhecimento, gostaríamos de compartilhar alguns pensamentos de Daddy-O sobre o quanto startups e todos negócios podem aprender com artistas de hip-hop.

1. Ponha seus criativos na linha de frente.

Daddy-o diz: “Se você não deixar seus ‘homens de negócios’ na retaguarda preparando as pessoas, eles vão estragar tudo. Você os deixa falar, você tá ferrado.”.

Daddy-O é um grande fã de colocar os cérebros criativos da operação sob os holofotes e deixando os “homens de negócios” na retaguarda como suporte.

No mundo do hip-hop, os criativos são os rappers – os homens de negócios incluem as gravadoras, empresários e qualquer um que ajude a distribuir e gerenciar as músicas do rapper. Daddy-O explicou que muitos rappers de sucesso começaram como artistas independentes – Master P, Cash Money, P. Daddy, pra falar alguns. “O grande cheque vem, eles correm para os grandes cheques. E aí, por fim, você vê alguns deles se perderem.”. Quando negócios vêm antes da arte, a arte sofre.

Startups e pequenos negócios enfrentam esse mesmo problema quando a parte de negócios da operação vem antes do produto. Startups deveriam focar-se em criar produtos grandiosos, assim como rappers deveriam focar-se em criar a melhor música que eles podem. Uma vez que o produto, qualquer que seja, estiver em sua melhor forma, ele aparecerá – e o seu negócio irá partir daí.

Daddy-O comparou negócios e arte a uma zona de guerra – você tem os soldados a pé (artistas e criativos) nas linhas de frente, fazendo as coisas acontecerem, e você tem os “MASH – Hospital Cirúrgico Ambulante do Exército” (os empresários) na base, fazendo com que tudo ocorra como planejado.

2. Não se deixe levar pelas probabilidades.

“Paixão é a criança na casa de sua mãe com um amplificador da Marshall e um violão, e sua mãe dizendo que ele é um vagabundo e mesmo assim ele continua tocando. Paixão é aqueles jovens em uma garagem com um pequeno software. Se você vai colocar paixão em algo, é melhor que você não se deixe levar pelas probabilidades. Porque você pode simplesmente arrancar a palavra paixão de lá.”, diz Daddy-O.

Ele explica que nada deveria acabar com a sua paixão, seja você alguém tentando ser uma estrela do rock ou um empresário de alguma startup. Para velhos artistas de hip-hop, assim como Daddy-O, que começou a fazer RAP em 1979, havia muitos críticos do gênero que chamavam de modinha ou ouviam com desgosto enquanto o DJ “riscavam” os vinis de forma errada. “Vocês acham que a gente escutava eles? Só fazia a gente arranhar mais e mais. Fez a gente fazer mais RAP, porque a gente nem ligava”, contou Daddy-O.

As probabilidades de cada um são diferentes e você pode achar que alcançar as metas do seu negócio é impossível, mas se você colocar sua paixão por trás disso, você sempre vencerá. Quando você alcançar aquela meta final ou andar um bom caminho, você irá aprender algo que fará tudo valer a pena.

“Você não terá certeza da maioria das coisas na sua vida. Como compositores encarando altos degraus de incerteza, a gente abraça a parada. Na verdade, é isso que nos dá energia. É o mesmo frio na barriga que o Michael Jackson tinha sempre que ele ia subir no palco. Aquele degrau de incerteza é saudável se você olhá-lo do jeito certo. Abrace-o, porque é isso que fará a vitória tão empolgante”.

3. Nunca pare de praticar.

“Negócios falham porque no começo você está sempre praticando, sempre usando seu dom, seja isso escrevendo um código ou uma nova rima. Mas depois que o seu programa é escolhido ou depois que uma gravadora te contrata, você para.”.

“Resumindo, é isso”, diz Daddy-O. Ele aponta a inspiração como o motor para continuar praticando. Se você foi inspirado pelo trabalho de alguém ou se você sente que o seu talento é uma dádiva divina, sua única opção é continuar inspirado. Daddy-O ainda contou uma anedota:

“Você está no começo de uma startup. você está seguindo tudo que os especialistas dizem na internet, comprou todos os livros, e você sente que tá chegando lá. É assim até que alguém lhe dá um cheque, e, do nada, você tá lá fora. Do nada, sua inspiração torna-se sua competição e você não está mais nem tweetando. O que aconteceu com aquele blog que você estava fazendo toda semana? O que aconteceu? Oh, você tem um cheque agora. Você não quer falhar? você não tem opção: continue inspirado!”

4. Use o que você tem.

“O ovo dourado não é vencer, é experiência. Experiência é suficiente. É isso o que você tem que fazer, use o que você tem. É isso que o Jay-Z faz. Ele nunca parou de rimar. É isso que o Puff Daddy faz. Ele nunca parou de rimar. Todos os engenheiros que conheço, todos os desenvolvedores, todos os designers, isso é tudo que eles fazem. Eles simplesmente usam o que eles têm”, diz Daddy-O.

“Você vai continuar inspirado, se você continuar praticando. Não tem como ser um dançarino de break, continuar dançando e não se inspirar porque você irá evoluir se continuar fazendo. Você não continuará fazendo os mesmos quatro passos pra sempre. Você ficará cansado desses quatro passos. Se você estiver escrevendo um código, você não continuará escrevendo as mesmas quatro linhas pra sempre. Você irá melhorar!”

No começo, RAP era sobre continuar novo. Rappers precisavam ter uma nova rima sempre que subiam no palco. Fazer albuns de RAP era considerado “lixo” porque significava que você estava gravando a sua rotina, nada era novo. Como consequência, rappers estavam constantemente escrevendo novas rimas. Para melhorar, você precisa usar sua mágica, explica Daddy-O.

Essa lição tem grudado em Daddy-O através dos anos. Seu lema de negócios é “Sua evolução é inevitável, se você continuar praticando.”.

Usar o que você tem é tão útil para equipamento quanto para sua mágica. “Se você perguntar pra qualquer guitarrista, ele não quer uma guitarra de merda. Mas eu te garanto, Flea toca tão bem em um baixo de merda quanto num bom baixo porque ele aprendeu a tocar em um de merda. Use o que você tem e você chegará ao próximo nível.”, diz Daddy-O. Não tenha inveja das novas e brilhantes ferramentas que os outros artistas e empresários estão usando, faça o melhor que pode o que você tem. Independente se for talento ou equipamento, use até você gastá-lo ao máximo, aconselha Daddy-O.

5. Encontre onde você pertence.

Quando você escuta um artista de hip-hop, é inevitável que ele irá mandar um salve à sua quebrada, seja ela o Brooklyn, Atlanta ou qualquer outro. O território natal de um rapper é parte de sua música.

Mercadólogos chamariam isso de “conhecendo o seu mercado”, diz Daddy-O. Mas rappers conhecem como saber onde eles pertencem no mundo da música.

Para empresários, é importante entender que tipo de pessoa o seu produto ou serviço está mirando e então comunicar-se e agir de acordo.

BONUS: Não lide com a parte jurídica sozinho.

Durante a sua jornada para tornar-se um homem de negócios de sucesso ou um rapper, você terá a oportunidade de fazer a maior parte do negócio você mesmo, aprendendo sobre diferentes aspectos da indústria e do seu negócio. A única coisa que você nunca deverá categorizar como um projeto “Faça Você Mesmo” é a parte jurídica, diz Daddy-O. Se você está negociando um contrato, sempre procure conselhos legais. Mas, fora isso, ponha a mão na massa.

seja o primeiro a comentar

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.