Zum lança “2 Gritos” com participação de Mota

Atualizado em 14/01/2014

Nesta segunda-feira (02), Zum lançou a música “2 gritos” que contou com a participação e a produção de Mota.

De acordo com publicações a música aborda mais uma vez um tema metafórico indo contra os princípios do sistema e sociedade.

Ainda de acordo com as publicações Zum comentou que não estava mais em suas pretensões lançar alguma música ainda nesse ano de 2013, mas deu ênfase dizendo: “2 Gritos é a minha composição mais recente e de fato a que me chamou mais atenção depois que li, reli e gravei algumas guias vocais. Confesso que íamos deixar pra lançar algo em 2014, mas vale muito a pena soltar esse single antes; pelo menos no meu ponto de vista.

Vi no Zona Suburbana

https://soundcloud.com/zum879/zum-2-gritos-part-mota

 

Letra:

Avisa lá pra parar os gritos da alma, Vamos ter calma,

há tempo de prosperar sem falhas Vai precisar espalha,

não estou esquecido do meu eu

Pássaros voam cegos, porém ainda vejo Deus

Se é pra lutar não nego, se é pra vingar calejo

sem decalcar flagelos, sem fraquejar com os prego

O tempo voa man, também não volta hein!

Então me solta e vem, a nossa luta tem!

Oceanos mortos nesse universo pardo

É claro onde o absurdo por lamento do demônio é mato

Tantos caminhos, tantos sonhos e vidas

Tantas largadas, uns desistem a causa é as ferida

Citas, sinta, viva, cria rincha, parasitas

Tanto irrita vida fria, iceberg do sistema, com alma vazia

Num mundo tão trágico, fragilidade é tanta,

esperança sangra sangue não estanca

 

Refrão:

E o pensamento voa dentro da gaiola tentando entender

o que essa prisão sem cela tem tanto a temer.

Pensar pra quê? Saber não é a opção,

nada além dessa prisão, aceite a condição

de não tentar rebelar contra a matriz,

estar no jogo sem jogar e fingir ser feliz

só pra não ter que ver o que é repressão,

os gritos na escuridão é a única razão.

 

Sem horizontes sagrados, onde pregos são colchões

Quem tem razões ficam calados atrás de portões

Rapidamente discernível ímpeto sínico,

dizem que é impossível vencer de modo lírico

Me dopam com líquidos, eu gosto, não minto

É que dopado rente a isso eu resisto aos gritos.

Sangue ferve, lutando contra a peste,

estilo Malcolm X Resisto ao mal, que serve,

esse recinto fede, erguem e querem teses

preces no mundo fezes. Pés amarrados impedem pequem,

corações ferem, éter, vermes, entre ações testes.

Não perguntam se queres, te contaminam em séries

 

Refrão:

E o pensamento voa dentro da gaiola tentando entender

o que essa prisão sem cela tem tanto a temer.

Pensar pra quê? Saber não é a opção,

nada além dessa prisão, aceite a condição

de não tentar rebelar contra a matriz,

estar no jogo sem jogar e fingir ser feliz

só pra não ter que ver o que é repressão,

os gritos na escuridão é a única razão.

 

DOWNLOAD AQUI

seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.