Terceira Safra lança o single “Tudo abaixo do céu” com produção do DJ Caique

Nesta sexta-feira 13, o Terceira Safra lançou o single “Tudo Abaixo do Céu”. Fazendo jus à data, os caras chegaram tocando o terror com mais um som pesado.

Para conseguir captar o máximo possível desse som, nós falamos com os próprios caras do grupo e chegamos quase que num raio-x das rimas.

Você já começa a ter uma ideia do que está por vir quando escuta “Esse é um relato de um negro, habitante do maior país da América Latina, que no momento está à beira de um colapso social”.

Logo nos primeiros versos, o som já mostra como a grande mídia manipula o cotidiano da população, quando reúne um número X de pessoas em uma casa e mostra o “dia a dia” das mesmas. “Pois bem! Tem grande irmão que não é meu mano/ Que nos adestra oferecendo um zoológico humano”. Se ainda assim cê não conseguiu captar, sugiro que traduza “Grande Irmão” para o inglês.

Ainda sobre esse domínio da mídia, na letra consta alguns sobrenomes, uns mais famosos como Abravanel e Marinho e outros talvez não tão conhecidos. Mas, depois que cê der um Google e ver de quais empresas essas famílias são donas, cê vai ter uma noção maior de por que muitos falam de manipulação e/ou concentração da informação aqui no Brasil.

Perigoso, afinal, tente se lembrar de algumas opiniões “jornalísticas” dadas recentemente; “Negro nu acorrentado é autodefesa coletiva”. Ainda não entendeu? Calma, o Terceira Safra continua: “Reaça é extremista o genocídio é impiedoso/ Vejo só uma vitima de um sistema criminoso/ Somos Claudia e Amarildo na balança da justiça/ Impunidade é hipocrisia quando infla ego racista.”

Traduzindo: por que a maioridade penal, o ladrão amarrado no poste, o suspeito linchado em praça pública e tantos outros casos sempre têm ligação com o pobre ou negro? Que atire a primeira pedra quem… Aliás, melhor não atirar pedra alguma, sabemos que essas pedras tendem a acertar uma determinada parte da população.

Por incrível que pareça, o sofrimento do negro e do pobre chama a atenção da sociedade. Duvida? Puxe na memória os maiores sucessos do cinema nacional e lembre de que quase sempre os morros e favelas são os cenários para as histórias contadas. E não é apenas o nosso cinema que olha com “carinho” para o negro e o pobre; há quem lute por um mundo melhor e com mais igualdade, porém tudo sob o seu ponto de vista, do alto de suas coberturas, começando a revolução não aceitando mais a mesada dos pais. Como diz a letra é a “Revolução dos playboy, doutorado esquerda fake”

Pra fechar a conta do caos, é só ver que o oprimido aplaude e até apoia o opressor. A política da opressão através de uma polícia extremamente violenta é sustentada no poder há mais de 20 anos em São Paulo. É só ver a alta audiência daqueles programas com o apresentador gritando em frente às câmeras, clamando “justiça”, pedindo pena de morte e etc.

Mesmo quando tudo parece lindo, quando para que o país todo está unido contra o racismo e as redes sociais lotadas de pessoas na defesa do negro, é só o negro sendo humilhado mais uma vez; “Na humilhante hashtag ironizam minha cor”. Pra confirmar que “desde o parto nos segregam como inferior”, é só ver a quantidade de comentários racistas ontem, depois que o Marcelo, lateral da seleção brasileira, fez um gol contra.

O som cita um filme de 2005, chamado “Quanto vale ou é por quilo”, que aborda muito do que é versado. Aliás, um filme de quase dez anos atrás; pouca coisa mudou. “Por um lado penso, a educação não é ruim/ Plano excelente do governo para nos manter fudido assim.”

– Faça o download da música “Tudo abaixo do céu”.

Enquanto o conhecimento chega de maneira defasada, o Terceira Safra continua narrando o caos; “Tudo abaixo do céu” tem produção do DJ Caique e é mais um lançamento do coletivo Muzikalibre.

Abaixo cê confere a letra de música:

Só pra ser o que nem sei ao certo, baseado em alguém
Que só quer lucro e beneficio me tornando ninguém
Pois bem! tem grande irmão que não é o meu mano…
Que nos adestra oferecendo um zoológico humano
Vejo animais semi-racionais adestrados
Que da real são privados,de raciocínio castrado
O entretenimento é letal
São poucos nomes que produzem,alienam e vomitam o mau
Abravanel,Marinho,Saad,Frias é nítida
Dallevo, Mesquita, fascistas Civita
Meta é manipular, porco politiza, policia militar
Eu vim pra ser mais um anti herói que o Valete rimou
Sou brasileiro inconformado que não se adaptou
Estimulam a sociedade a urrar de alegria
Negro nu acorrentado é auto defesa coletiva
Reaça é extremista o genocídio é impiedoso
Vejo só uma vitima de um sistema criminoso
Somos Claudia e Amarildo na balança da justiça
Impunidade é hipocrisia quando infla ego racista

O roteiro perfeito pro cinema nacional
O show de ódio online no penico digital
Tô bem longe de utopia eu já saquei esse take
“Revoilusão” dos playboy doutorado esquerda fake
Socialismo ou Comunismo dentro do conforto de suas mansões
Chatice, mesmice, mano quanta burrice
E o pior é oprimido aplaudir tucanisse
Mais desde o parto nos segregam como inferior
A vida segue irmão, quanto vale ou é por quilo?
Esbranquecer história fez da luta um cochilo
Eu to observando o caos, cê viu?!
Terceira Safra não prega ilusão mandando os Rap, VAZIO!!!!

seja o primeiro a comentar

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.