Consagrado produtor do Hip Hop Brasileiro e atualmente metade do Tropkillaz, Zegon trocou uma ideia com a Skol Music sobre a atual cena do movimento e a nova geração do RAP Brasileiro.

Ele, que comanda o selo “Buuum” em uma nova promoção cultural da marca, destacou principalmente a facilidade com que as coisas são alcançadas hoje em dia.

“Existem dois lados: de um lado há uma geração que atravessou as dificuldades da cena dos anos 90/2000 e os seus poucos sobreviventes e do outro uma cena de cara fechada que se isolou por muito tempo e não conseguiu se auto sustentar sozinha. Sem dúvida, isso abriu o caminho para a nova geração, que veio com muita informação fácil, internet pra ajudar na divulgação e tecnologia ao alcance pra produzir”, comentou.

Assim, até na questão das produções, as coisas mudaram muito, afinal, hoje os equipamentos podem ser todos virtuais e os estúdios estão bem mais acessíveis também. Entretanto, para Zegon, toda essa mordomia também tem seu lado negativo.

“Temos beatmakers incríveis, bons letristas, djs, mas ao mesmo tempo acho que falta um pouco de malícia e até mesmo um pouco da simplicidade que as geraçõs anteriores tinham. Vejo um rap muito bonzinho com pouca atitude, mas com bastante habilidade e pouca experiência. De qualquer forma essa geração atual conquistou em 4, 5 anos muito mais do que as outras em 20”, concluiu.

Leia a entrevista completa no Skol Music.

DJ Zegon

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*