Nesta quarta-feira (19), Sant fez seu primeiro lançamento musical oficial e foi logo mandando um “Porradão de 2”. De um lado, “É o Rap”; do outro, “Entre nós”.

Até então o rapper, que estréia também o selo VVAR, do Marechal, só havia feito apresentações e parcerias, como na música “A guerra”, da banda Rock Movin’.

“Estou extremamente feliz com o resultado de tudo que já foi feito antes desse dia chegar. Desde os vídeos de shows atérecebermos as músicas prontas. Todo esse processo me ensinou muita coisa e hoje me sinto preparado pra entrar no jogo”, escreveu ele em sua página no Facebook.

Faça o download oficial do “Porradão de 2” com as duas músicas, a capellas e instrumentais.

“É o Rap”, que traz o lado mais contestador do gênero e cita vários artistas,  conta com o instrumental de Diego 157; “Entre nós”, com uma pegada mais romântica, conta com o instrumental do Mr Break e a participação de Carlos Dafé. Ambas foram produzidas pelo Marechal.

Abaixo cê confere uma rápida entrevista com o Sant sobre o “Porradão”:

Como são seus primeiros versos oficiais totalmente seus, sem ter que entrar na temática de outro grupo, queria que você apresentasse um pouco do seu estilo pro público. Quais os sons que você tem ouvido e quais artistas te inspiraram no início dessa caminhada?

Meu pensamento a respeito de música é bem livre, saca? Gosto de sentir a liberdade de escrever sobre o que acredito ter importância. Cara, meu trio de referências que eu tenho ouvido muito e também me inspirado é: Kendrick Lamar, J. Cole e Pusha T.

Como você falou em uma publicação, mesmo apenas com apresentações e participações, você já tem quase 10 mil fãs no Facebook. É bastante coisa e já te dá uma boa dimensão da importância do trampo. Queria saber, nesse sentido, como que funcionou a escolha da música a ser lançada. Neste caso, das músicas. Você escolheu elas por que são as duas que mais gosta ou por que o tema bate com o momento? E por que lançar as duas juntas, elas têm alguma ligação?

Desde que comecei a fazer minha parada solo eu sempre levei a “É o Rap” como meu single, mas a “Entre nós” foi um som escolhido pelo público. Quando eu lancei um vídeo com a performance ao vivo dela, nós tivemos um feedback muito positivo, e foi aí que também comecei a vê-la como single. Com os dois singles em mãos, juntamos o útil ao agradável e os compilamos nesse Porradão de 2.

Ainda um pouco sobre a sua pergunta anterior, conta pra gente um pouco da sua própria visão sobre as duas músicas. Qual a inspiração pra cada uma delas?

A “É o Rap” é fruto da movimentação que fazíamos aqui na Zona Norte do RJ com um evento que rolava as quintas-feiras em Cascadura. O bordão surgiu dali e me inspirou pra compor o som. 

Já a “Entre nós” é uma das milhões de composições que estavam presas no caderno, quando o Break me mostrou a batida, eu achei o verso e só reformulei pra casar mais com o instrumental.

É o seu primeiro lançamento oficial e o primeiro do selo VVAR. Você tem caminhado há um bom tempo com o Marechal e ele parece apostar muito no seu trampo. É uma responsabilidade tremenda, não é? Você chega a pensar nisso, em ter que corresponder e tal?

Com certeza, irmão, mas se eu não me sentisse pronto, eu nem começaria, em respeito ao Hip Hop. Essa porra é minha vida.

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*