Na última segunda-feira (6), a Lei 7.716, que define os crimes resultantes de preconceito racial, completou 25 anos e deixou uma reflexão na mente: o que realmente mudou de lá para cá?

Criada pelo deputado Carlos Alberto de Oliveira, a lei determina a pena de reclusão a quem tenha cometidos atos de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. Outras ações de tratamento diferenciado também tornaram-se puníveis.

Entretanto, principalmente os negros, ainda sofrem diariamente com esse tipo de atitude. Pior, atitude que na grande maioria das vezes não é punida e torna-se apenas uma perpetuação do preconceito.

Leia mais:
Matéria completa na Fórum;
– Taxa de mortes violentas entre negros é mais que o dobro de taxa entre não negros;
– “O racismo acabou”, mas trabalhadores negros recebem salário 36,1% menor;
– Usuário coloca “negros com diversas utilidades” à venda no Mercado Livre.

“A realidade continua a duras penas. Desde o começo, muitos foram convidados para entrar no Brasil, o negro foi obrigado a trabalhar como escravo”, disse o o coordenador nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais e Quilombolas (Contaq) a Fórum.

Outras leis têm sido implementadas nos últimos anos para reforçar a necessidade de uma mudança em nossa sociedade, como a Lei das Cotas, mas, mesmo 25 anos depois de dar os primeiros passos, ainda estamos engatinhando.

Vi na Fórum.

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*