Se o grande destaque do RAP no Lollapalooza Brasil era o estadunidense Nas, o RAP Brasileiro não fez feio e foi muito bem representado por Criolo e Planet Hemp.

Com seu show no sábado (30), no Palco Alternativo, Criolo não só fez o povo vibrar com suas principais canções como aproveitou o momento para passar alguns conselhos. Ao lado de seu fiel escudeiro, DanDan, o rapper foi de “fora, Feliciano!” a título mundial do Corinthians, seu time do coração representado também por um cachecol que ele utilizava no show.

De acordo com o G1, o protesto contra Marco Feliciano não foi o que ditou o show, não foi uma apresentação política, foi apenas um “conselho” em meio a outros que o rapper deu na noite. Entre eles, Criolo pediu para que muita energia fosse enviada às pessoas que necessitam de amor.

Assim como ele, BNegão, do Planet Hemp, também quis ver o presidente da Comissão de Direitos Humanos fora de seu cargo. Em seu show no domingo (31), no palco Butantã, ele não só protestou contra Marco Feliciano como também citou “os irmãos que foram expulsos do Museu do Índio no Rio”, de acordo também com o G1. Marcelo D2, por sua vez, fez homenagem a cantores brasileiros mortos, citando Chorão, Chico Science, Sabotage, Bezerra da Silva e Skunk, fundador do Planet, ao tocar “Samba makossa”, da Nação Zumbi.

O show do grupo, iniciado com um vídeo no telão em que Gil Brother, o Away de Petrópolis, defende a legalização da maconha, uma das maiores causas do Planet Hemp, foi dividido em três atos, que correspondem aos três discos já lançados por eles. Agora, eles completarão a turnê de reencontro em Chicago/EUA, onde se apresentarão na edição americana do festival.

Criolo e Planet Hemp no Lollapalooza Brasil
Fotos: Raul Zito/G1

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*