Sabe aquela música que fica pra história pela qualidade ou importância? Aquela que será lembrada, independente de quantos anos passarem? Esse tipo de música é conhecida como “um clássico”; e o RAP Brasileiro está repleto deles. De Racionais a Sabotage, passando por RZO, SNJ, Gabriel o Pensador, Dexter, MV Bill e tantos outros.

Tik tak“, do Doctor MC’s, é um deles. E que clássico! Além de a música ser lembrada uns 15 anos depois, o seu refrão ultrapassou barreiras e é conhecido por gente que mal sabe o que é RAP. Afinal, o tempo continua passando e ainda existem poucas coisas melhores do que ficar aqui sentando no banquinho conversando.

A nova geração do RAP faz bonito sempre que lembra de suas raízes e canta os “sucessos do passado”. Uma maneira não só de exaltar quem fez tanto por nossa cultura, como também de lembrar os fãs de hoje dos ídolos do passado (que são ídolos hoje em dia). Mas, se um clássico é clássico por trazer algo diferente, Projota fez uma regravação clássica de um clássico do RAP. Difícil de entender? Difícil de acreditar!

Para um programa da MTV, o rapper faria sua versão da “Tik Tak”. Mas, ele não só impôs seu ritmo, como fez uma letra própria! Tudo bem que muita gente não gostou, tanto por não gostarem do Projota, quanto pela proximidade que cada um tem com à original. Entretanto, a coragem de fazer algo assim é admirável. A chance de fazer algo horrível e manchar a carreira, no estilo do Latino, era grande, mas mesmo assim ele mostrou que sabia o que tava falando, entrou no clima da original e mandou um som daqueles!

É claro que é mais fácil determinar que uma música é um clássico quando ela é antiga. Afinal, só saberemos se as músicas de hoje em dia serão clássicos se, daqui alguns anos, ainda estiverem em alta, se ainda forem comentadas e aclamadas. Entretanto, quando você ouve um som diferenciado, quando você ouve um som que tem certeza estar acima daqueles que costuma ouvir dos artistas de mesma época, é fácil se render à palavra e taxá-lo como “clássico”.

Muita luz” tem isso. Projota utilizou de um leque enorme de acontecimentos recentes para moldar suas rimas. Criticou da recente agressão aos skatistas na Roosevelt, ao contínuo preconceito com os negros que parece nunca acabar; desesperançou os RAPs que falam de blim blim e trouxe esperança a muitos moleques com as rimas que contam sua história e elevam o espírito. Com a simplicidade de um RAP que constrói e já ajudou muita gente (e fez muitos conhecerem o RAP), ele faz seu “RAP modinha” já durar uns 5 anos nas cabeças, sem data pra sair.

Mais do que isso, ele mesmo editou o vídeo e o deixou pronto pra lançar. Além de já ter produzido várias batidas para suas músicas (neste caso, foi o DJ Caique). Ou seja, enquanto você fala que ninguém te ajuda e só querem saber dos “RAPs modinha”, por boa parte de sua carreira, ele fez tudo por conta própria. Não estou aqui pra falar que você não deve pedir ajuda, mas que deve correr atrás de seus objetivos antes de qualquer coisa.

E se já não bastassem os ditos “fãs de RAP” criticarem um artista que simplesmente alcançou o que era pedido a ele tantos anos atrás por outros fãs de RAP, agora também os caras começaram a criticá-lo por sua aparência. Pois é! Depois de criticarem alguém que fez sucesso saindo do nada e quebrou barreiras pro RAP ter o espaço que todos tanto pediram, resolveram utilizar as armas que a sociedade tanto usou contra eles mesmo.

Sei que na superfície parece que estou fazendo uma tempestade em um copo d’água, mas vai muito além de criticar alguém que “xinga” outro por ter engordado ou coisa do gênero. É uma crítica à hipocrisia sem dimensão instaurada nos “fãs de RAP”. Quantas vezes reclamamos que a sociedade nos rebaixava por nos vestimos desse ou daquele jeito? Quantas vezes rimamos falando que nos julgavam pela aparência?

E qual a nossa reação: atacar aqueles que foram oprimidos como nós fomos com as armas do opressor? NÃO! Esse não pode ser o futuro do RAP que os autores dos clássicos que falei no início lutaram tanto. Claro, você deve ter opinião própria, deve saber o que é melhor pra você, mas lembre-se: enquanto a vitória de alguém da periferia causa infarto em um político corrupto, quando a periferia ataca ela própria sem motivo racional algum, a vitória é deles.

Sem dúvida, a escolha é sua. De que lado você tá?

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*