Não sei. Eu simplesmente não acredito no trabalho que ouvi. Em uma época em que a maioria busca refrões cativantes que grudam, os caras fizeram um CD sem refrões. Em época de CDs rápidos, eles fizeram um duplo com introduções, interlúdios, notas explicativas e um total de 28 faixas.

Não tem como você não colocá-lo em um patamar pelo menos diferenciado. A maioria das músicas tem em torno de 2 minutos de um RAP tão cru que é só mensagem e batida. E essa batida é pesada, daquelas marcantes, mas eles não a deixam sobrepor o conteúdo da letra.

Não existe espaço pra falar música a música porque o próprio CD não foi feito assim. São dois CDs dentro de um só com títulos bem fortes, que contam uma história. Diferente dos CDs comuns, “Sem Cortesia” não parece ter sido nem separado “música a música”, mas sim “mensagem a mensagem”. Por isso os sons curtos e a falta de refrões: assim que a mensagem é passada, pronto, vamos pra próxima.

Faça o download oficial do CD duplo “Sem cortesia”.

Falando em músicas curtas cheias de mensagens, “4:20” tem uma história bem peculiar. Pelo nome, parece um daqueles sons feitos só para dizer que seus compositores fumam maconha. Mas, não. Em entrevista ao Altnewspaper, o Síntese explica que o nome se deve ao horário da composição. Coincidência ou não, a música fala sobre uma sociedade preconceituosa e mente fechada, que não faz nada para melhorar a situação precária que se encontra, parece não se importar.

As músicas às vezes soam como poesia, às vezes como oração. A única coisa certa é que elas não estão saindo da garganta, elas tão saindo do sentimento mesmo, tão forte que soa meio neurótico, meio possesso. Esse sentimento aflorado fez muita gente comparar o som do Síntese com o da “velha escola” do RAP. Concordo e discordo.

Concordo porque é um som pouco comercial, mais visceral e contestante, assim como eram esses aos quais foram comparados. Entretanto, discordo porque essa contestação não é tão objetiva como eram aquelas; não é tão direta. Em poucas das músicas há uma descrição de um fato, há mais subjetividade, poesia.

Pra mim, “Sem Cortesia” é a síntese (sim, foi intencional) da mistura do RAP que crescemos ouvindo (isso vai depender da sua idade) com as mudanças e atualizações que temos hoje em dia. Ao mesmo tempo que é simples, cru, sem frescuras, apenas rima e batida, também é cheio de pequenos detalhes que o engradece: espiritualidade, interpretação das rimas, profundidade da poesia, etc. A parte irônica é que a diversidade de conteúdos e mensagens que agrega, deste e daquele tempo, desta e daquela cultura, fazem com que seja um CD ímpar.

Parece-me uma compilação de sons gravados por duas pessoas que tinham uma mensagem para passar e simplesmente ligaram o REC e começaram a passá-la. Sem planejamentos de marketing ou cálculos comerciais, apenas uma transmissão de alma a alma no apertar de um botão. Visceral como o mundo que habitamos e tenebroso como as mentes dos que perceberam a dura realidade.

Aliás, a falta de preocupação com o comercial talvez faça com que muita gente não chegue a ouvi-lo. É uma pena, pois os que o ouvem são agraciados com uma originalidade pouco antes vista na música brasileira…

Sem Cortesia – Síntese 

01 – Vagando na Babilônia

  1. Introdução (Prod. Neto)
  2. Vamos acordar… (Prod. Neto)
  3. Voz (Interlúdio)
  4. 4:20 (Prod. Neto)
  5. Sem Cortesia (Prod. Dö)
  6. Eu sou daqui (Prod. Neto)
  7. Enredo (Interlúdio)
  8. Bem-vindo ao show… (Prod. Neto)
  9. Ilusão (Prod. Neto)
  10. Só neurose… (Interlúdio)
  11. Pro que vier (Prod. Neto)
  12. Babilônia (Prod. Neto)
  13. Apocalipse pessoal (Prod. Willian e Neto)
  14. Eis-me aqui (Prod. Neto)
  15. Viva por mim (Prod. Moita e Neto)
  16. Máscara da rua (Prod. Neto)
  17. Auto-afirmação (Prod. Dö)

02 – Em busca de Canaã

  1. Subversão (Prod. Neto)
  2. Mudanças (Prod. Neto)
  3. Um passo (Prod. Neto)
  4. E assim reina o homem… (Prod. Neto)
  5. Enfermidade (Prod. Neto)
  6. Nota explicativa (Interlúdio)
  7. Ser humano (Prod. Moita)
  8. Nota explicativa (Interlúdio)
  9. Ser humano (Prod. Moita)
  10. Se escute (Prod. Neto)
  11. Perdão e gratidão (Prod. Heitor)
  12. Irmão (Interlúdio)
  13. Redenção (Prod. Neto)

Não perca mais nenhum post!

5 Comments

  1. Melhor cd de 2012!!!

    Desde o lançamento do disco que eu venho falando que sintese vai ser um marco para o rap nacional. Espero que em 2080 eu esteja vivo e mostre aos meus netos o que foi/era um cd de mensagem. Sempre curti o som “sujo” dos caras, sem muita frescura e com um audio não tão “bom” eles mostraram a mensagem.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*