Fãs já notaram logo ao ler o título que o texto seria baseado no clipe “Encenação”, do 3030 (lá embaixo, no fim da página). Na verdade, não na obra-prima visual recém-lançada, mas nas afirmações afiadíssimas contidas na letra, que te fazem refletir por dias. Afirmações e questionamentos que se repetem e se multiplicam através do CD “Quinta dimensão”, lançado pelo grupo no final do ano passado. Mas, se é do ano passado, por que trazer à tona agora?

Primeiro, obviamente, por causa do lançamento do clipe, que trouxe de volta as ideias da música aos holofotes, ainda mais em meios às manifestações que ele próprio destaca. Comecemos por elas. As manifestações estão aí para mostrar o tamanho do problema que estamos metidos. Imagina o quanto de corrupção e falta de competência são necessárias para levar milhões de pessoas às ruas pelo Brasil todo? Nosso sistema permite que escolhamos quem irá nos representar, mas não nos dá a menor garantia de que as pessoas escolhidas irão realmente nos representar ou pelo menos cumprir o que prometeram. Pior do que isso, mesmo quando de fato quebram alguma lei (visto que quebrar uma promessa com eleitores não é digna de um processo), ínfimas vezes são acusados e em vezes que podemos contar nos dedos são punidos.

Segundo e mais importante motivo para levantar essa discussão, foi um documentário que vi recentemente, chamado “Cortina de fumaça”. O documentário, o qual recomendo com todas minhas forças que assistam, trata sobre o uso das drogas, mas abrange um assunto muito maior e muito mais preocupante: não são apenas nossos governantes que são o problema e a fonte da corrupção, mas as nossas próprias leis estão “vendidas”. Não, não estão atrasadas, estão erradas mesmo, corruptas.

Como o documentário mostra, nos Estados Unidos, as leis que proíbem as drogas foram criadas pra proibir que, basicamente, estrangeiros as utilizassem; quando o consumo era de mulheres americanas de meia-idade, estava tudo bem. As leis que proíbem o consumo de drogas nos Estados Unidos surgiram de um presidente que queria o apoio popular para se eleger, não tinham muito a ver com o uso de drogas em si. Num geral, a proibição das drogas é muito mais uma desculpa pros policiais poderem invadir a favela e, basicamente, qualquer estabelecimento sem necessitarem de algo mais formal.

Particularmente, não acredito em leis de proibição. Todos os recursos deveriam estar disponíveis a todas as pessoas, cabendo a elas decidirem como usariam e o quanto usariam. O governo só se meteria a partir do momento que você utiliza da sua liberdade verdadeira para afetar a liberdade de outro, que é o verdadeiro crime. A prevenção não seria feita pelo preconceito dos governantes em imaginar que só porque você consumiu isto ou aquilo, você não está apto para fazer isto ou aquilo, mas sim pela educação e perspectiva de uma vida de qualidade somados a um sistema de punição mais adequado.

Entretanto, no momento em que nos encontramos, em que a nossa educação além de errada é insuficiente e o nosso sistema de punição quase nunca pune e quando o faz, faz de forma errada e/ou atrasada, imaginemos que sim, precisamos de algumas restrições: por que certos produtos são proibidos e outros não? Muitos, prontamente, devem ter respondido que certos produtos são restritos por fazerem mal. Ok. Mas, você já parou pra pensar sobre isso? Provavelmente, não.

Na verdade, como o documentário mostra, as escolhas por quais produtos devem ser restritos ou não, no caso das drogas, não tem nada a ver com o perigo em consumi-los, visto que estudos científicos mostram que o álcool e o tabaco são muito mais perigosos que o LSD e a maconha, por exemplo. Além disso, os estudos não mostram ligação alguma entre o uso de drogas como a maconha como porta de entrada para drogas mais pesadas, visto que esta é uma droga calmante; o álcool, por exemplo, seria um inimigo muito pior nesse quesito.

Ou seja, os únicos motivos para punição das drogas são políticos, financeiros e de conveniência pro governo, não pro povo. Ou seja, as leis da nossa democracia são muito mais totalitárias do que democráticas!

Todo nosso sistema é falso. A democracia que vivemos é uma mentira. A liberdade que temos é uma mentira. Trabalhamos inúmeras horas por dia para comer e ter saúde para no outro dia estar bem o suficiente pra trabalhar mais inúmeras horas por dia. O nosso sistema educacional é uma mentira. Todos nos dizem que somos únicos, mas crescemos dentro de uma padronização inacreditável, com respostas prontas e incentivados a competir e não contribuir, a decorar e não entender. Somos tratados como um produto qualquer, colocados em uma linha de produção fabril, na qual não importa o seu resultado final, se você não fez parte de algum desses processos, será taxado como defeituoso e valerá menos.

A nossa saúde é uma mentira. O fato de que os tratamentos que podem salvar nossas vidas são manipulados por pessoas com interesses financeiros já é um erro monstruoso, visto que só sobreviverá quem tem dinheiro. Pior do que isso, ainda implantam doenças para consumirmos mais remédios e vacinas. Mais (sim, “mais”, advérbio de intensidade mesmo) pior do que isso ainda é que possuem tecnologia suficiente pra explodir o mundo em poucos segundos, mas dizem não possuir para descobrir a cura pra certas doenças, pra que você passe o resto da sua vida pagando diversos remédios.

Até a nossa alimentação é uma mentira. Matamos animais apenas para um gosto melhor na boca; aplaudimos empresas que colocam animais em jaulas espaçosas quando não há motivo algum para os prendermos em lugar algum. Não matamos por sobrevivência. Aliás, o ser humano é o único (ou um dos únicos, pra garantir) animal que mata por prazer. Sim, aprendemos que podemos tirar a vida de outros animais, independente de sua espécie, apenas porque somos “mais inteligentes”, “mais fortes”, “mais poderosos”.

Na verdade, todos esses conceitos são desenvolvidos por humanos, ou seja, o conflito de interesses é gigantesco. As grandes indústrias (das armas, da carne, dos remédios, etc.) querem que você acredite nessas coisas para que eles possam continuar fazendo o que sempre fizeram. E tudo isso por quê? Por causa do dinheiro! Que, bom, também é uma grande mentira. Dinheiro nada mais é do que um pedaço de papel que os humanos (aqueles queridos de novo) transformaram no que a de maior valor no planeta (tirando as barras de ouro do Sílvio Santos, que valem mais do que dinheiro).

Tudo que você aprendeu até hoje está errado, seja por estar errado mesmo, seja por terem te apresentado apenas um lado da história. Aquela velha história da televisão apresentar só o moleque da favela correndo da polícia acusado de furtar algo, mas sem dizer que o governo não lhe deu comida nem educação, que os policiais mataram sua família e destruíram sua casa e que o sistema não lhe permite encontrar emprego por ser da favela. Tudo é uma questão de ponto de vista, por isso não acredite inquestionavelmente em nada do que te dizem; considere, pesquise, reflita e então decida. Nenhuma opinião deve ser maior que a sua; nem mesmo a opinião do seu rapper ou do seu filósofo favorito.

Cada pessoa é diferente, viveu coisas diferentes então vai raciocinar de forma diferente. Claro, talvez você chegue na mesma conclusão que outra pessoa, mas chegará por um processo diferente e no mundo real (que não é este que acreditamos viver), o processo para se chegar vale tanto para o aprendizado quanto a chegada. E este post? Foda-se este post! Este post é uma grande mentira, implantada por um terrorista que está tentando convencê-los a ir contra o governo, contra tudo e contra todos. Este post foi criado por um vândalo que passou por diversos processos da linha de produção do governo e sem querer apertou o botão reset pra ser classificado como “estranho” por todos os outros produtos.

É isso, este post é um botão reset e se você chegou até aqui, você está prestes a reiniciar o seu sistema. Está prestes a começar de novo seus pensamentos e sua capacidade de reflexão sobre as coisas a sua volta. Sua maneira de olhar as coisas e sua opinião são tudo que você tem. Sua capacidade de aprimorar seu conhecimento é sua meta, a única maneira de tomar decisões corretas num mundo em que você comanda cada passo que dá. Amanhã será o primeiro dia do resto da sua vida (porque clichês fazem parte da vida de todos)… você tem certeza que vai querer continuar sendo apenas mais um na linha de produção? Você tem certeza que com toda essa informação ao seu redor você vai querer ser apenas mais um fazendo tudo que todo mundo já fez? Você tem certeza que quer trabalhar inúmeras horas da sua vida para se aposentar bem quando na verdade poderia viver toda sua vida “aposentado” se desconsiderar o que te é imposto?

Você tem certeza de alguma coisa ainda?

 

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*