30. “Soldado insurgente”, do Rebeld

Diretor: Alexandre Rodrigues
Álbum: Livros | 2014

Trajado adequadamente, o rapper se coloca como um soldado combatente de questões sociais e políticas impostas nos dias de hoje. Sem a intenção de apertar qualquer gatilho, ele destaca mais uma vez a importância da busca pelo conhecimento, principalmente nos livros.

“Apropriar-se do conhecimento pode ser sinônimo forte de poder, de construir, evoluir, amadurecer enquanto indivíduo, organizar e transformar ideias em beneficio próprio e de todos os membros da comunidade”, explica Rebeld.

29. “Meu talento é viver”, do Gasper

Diretor: Isaac Metanóia
Álbum: A cor do futuro | 2014

O clipe retrata a entrada de um adolescente pro crime e a fuga ao ter uma arma apontada para si; Gasper versa sobre sua habilidade de continuar vivendo, uma possível referência a tantos que entraram pro crime e até conseguiram o sucesso desejado, mas acabaram morrendo cedo.

28. “Casa do canário”, do Além da Loucura

Diretor: Rafael Aschar
Álbum:

A expressão “Casa do canário” remete à “seleção canarinho”, como o time do Brasil é popularmente conhecido por causa das cores amarela e verde.

O trampo mostra “o lado que ninguém vê” da cidade onde os convocados e comissão técnica costumam se reunir e treinar antes dos jogos e campeonatos.

Destaca-se o contraste entre a alegria de assistir a cada jogo e a tristeza das condições precárias do País, principalmente na questão da saúde, que o clipe foca; contraste esse que não é exclusivo à região mostrada, obviamente.

27. “Adulta criança”, do Pedro Ratão

Diretor: Jonas Ribeiro e Celau Penafiel
Álbum: Acreditando no bem | 2014

Lançado no “Dia das crianças”, o trampo é bem característico. Pedro Ratão conta com uma produção artística interessantíssima, abusando das cores e animações.

As interações muito bem feitas do rapper com as imagens nos lembram do ato de brincar, das brincadeiras infantis, um toque especial bastante conectado com a temática.

26. “Beira de piscina (Remix)”, do Don L

Diretor: Toddy Ivon
Álbum: Caro vapor – Vida e veneno | 2013

Sem o Opala 87 ao qual o som se refere, o rapper e a personagem da modelo Alana Brendellar dão um rolê pelo Brás e pelo centro de São Paulo num até semelhante Caprice Classic.

Eles mantêm o ritmo num jantar classudo a dois; “Outra taça, por favor” até que não há mais com quem dividi-las. A “beira de piscina” divertida e sossegada da original do Emicida se tornou uma “afogadora de mágoas” na nova versão.

As imagens são muito bem trabalhadas e o trampo reflete todo estilão do Don L.

Não perca mais nenhum post!

2 Comments

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*