1. “Duas de Cinco/Cóccix-ência”, do Criolo

Diretor: Cisma
Álbum:

A gigantesca produção nos transporta à periferia do futuro, mais especificamente ao Grajaú de 2044. Armas são impressas em 3D e a tecnologia dos drones, que, em 2014, mal chegou ao Brasil, já subiu até o morro. Entretanto, as mazelas sócio-culturais não só se mantiveram como parecem ter aflorado.

“A desgraça consegue ser mais rápida que a tecnologia. Agora cada bairro tem a própria Cracolândia em sua porta. Pensamos em 2044, mas isso chegou em três meses”, afirmou Criolo ao Estadão, destacando que a tecnologia é só um detalhe.

Este é um trampo mais do que especial. Além de toda imaginação do futuro, da crítica social, as imagens também são lindas e a história em si é muito bem trabalhada.

Um salvão especial pros manos e pras minas que, com uma atuação impecável, deixaram a mensagem ainda mais pesada e tocante, fazendo quem assiste refletir quase que naturalmente.

É foda ver como a entrada pro crime pode evoluir de maneira tão rápida, principalmente com os adolescentes. De uma brincadeira com armas, pra um assalto, pra uma morte de bobeira num bar depois de um empurrão. Parece um exagero, mas já vimos tantas histórias parecidas que não passa de realidade.

No clipe, os jovens têm uma segunda chance quando resolvem abandonar a “brincadeira”, mas isso raramente acontece. Se não a cadeia, a morte. Tudo que vem fácil, vai fácil também…

Não perca mais nenhum post!

2 Comments

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*