Se a música brasileira como um todo ficou mais triste com a morte de Jair Rodrigues, nesta quinta-feira (8), o RAP tem um motivo a mais para lamentar.

Cantor, ele é considerado por muitos o precursor do gênero no país por causa da clássica “Deixa isso pra lá”, gravada em 1964; a composição, no entanto, é de Alberto Paz e Edson Menezes.

Não, Jair nunca foi e nunca quis ser rapper e por muito tempo nunca soube desse título; quem atribuiu a ele foi o amigo Herbert Vianna, como contou no “Encontro com Fátima Bernardes”.

Vários integrantes da cultura Hip Hop assinam embaixo. Afinal, o ritmo mais falado nunca antes tinha sido feito por aqui. Somado a isso, ele fazia toda uma gesticulação na interpretação, bastante parecida com a que é naturalmente feita pelos MCs.

A inspiração e o modelo dos primeiros artistas brasileiros a serem chamados de “rappers” são, com certeza, estadunidenses, mas é impossível negar o “invencionismo” de Jair Rodrigues.

Segundo sua assessoria, o cantor, de 75 anos, faleceu em sua casa, em Cotia/SP; a causa da morte foi um infarto agudo do miocárdio.

Abaixo você pode conferir um pouco das gesticulações na “Deixa isso pra lá” e algumas participações efetivas do cantor no RAP Brasileiro:

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*