35. “Sonho de rua”, do Cacife Clandestino

Mixtape Sonho de Rua, do Cacife Clandestino

Com uma quantidade impressionante de fãs muito antes do lançamento oficial do disco, o Cacife Clandestino faz um barulhão a cada novidade anunciada. O que mais chama a atenção no CD é o ritmo diferenciado principalmente em relação aos seus colegas cariocas; a maioria das faixas apresenta versos bastante melódicos, que lembra um pouco o estilão do RET, embora possuam estilos completamente diferentes de escrita.

– Leia a publicação original do CD “Sonho de rua”;
– Ouça o CD “Sonho de rua” completo no Youtube.

34. “Muito mais amor”, da Lívia Cruz

Se a expectativa criada para o primeiro CD oficial da Lívia Cruz conseguiu ser alcançada, vai depender do que cada um esperou, mas definitivamente não decepcionou. A rapper trouxe para o disco exatamente o que o título propõe e acrescentou uma pitada de revolta principalmente na ótima “Não foi em vão“.

– Leia a publicação original do CD “Muito mais amor”;
– Faça o download oficial do CD “Muito mais amor”.

33. “Pronto como um macaco pra ser lançado ao espaço”, do Napalm

Insanos, o que não é nada surpreendente em um grupo com tal nome e que dá tal título para seu CD. Inúmeras referências e um pouco de cara de pau pra dizer o que vier à mente transformam o disco em uma bomba pronta pra explodir no seu ouvido. Pique Napalm mesmo.

– Leia a publicação original do CD “Pronto como um macaco pra ser lançado no espaço”;
– Faça o download oficial do CD “Pronto como um macaco pra ser lançado no espaço”.

32. “Só não perca as esperanças”, do Pedro Seth

Se ele ainda nem saiu da adolescência em questão de idade, como MC com certeza já pode ser considerado gente grande. Pedro Seth não toma cuidado apenas pra acertar os versos com o beat, mas também passa na mixtape uma consciência raramente vista mesmo em caras que estão há anos na cena.

– Leia a publicação original do CD “Só não perca as esperanças”;
– Faça o download oficial do CD “Só não perca as esperanças”.

31. “Rap até o fim”, da Karol de Souza

Perfeito exemplo de que protesto e contestação nem sempre precisam ser acompanhados de tiroteio e mais vítimas do que resultado. Sobre as batidas vibrantes de quem gosta de uma festa, uma dança e um colorido e não tem medo de mostrar isso, Karol de Souza faz um som bastante moderno e cheio de reflexões principalmente pra quem luta por um mundo e um RAP melhor pros seus.

– Leia a publicação original do CD “Rap até o fim”;
– Faça o download oficial do CD “Rap até o fim”.

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*