Na última terça-feira (25), Shaw, através de seu perfil pessoal no Facebook, voltou a questionar o lado financeiro do RAP.

Depois de comentar principalmente a crítica exagerada dos fãs aos preços dos ingressos e ao crescimento do artista, o rapper voltou o debate aos produtores de eventos do “circuito underground”.

“[Os] custos desses artistas crescem também à medida que se profissionalizam, e no final, o que acontece com o circuito underground é que sua ‘ideologia’ não permite contratar os próprios artistas que o fomentaram”,  explica. “Não são os artistas que estão deixando o RAP underground, o RAP underground se afasta dos seus artistas por não saber valorizá-los”, conclui.

Embora esse seja um ponto de vista contestador por si só, essa não é a grande crítica de Shaw em sua publicação, visto que ele descreve o crescimento natural do artista, que o underground dificilmente acompanhará um dia, pois à medida que o público do artista cresce (cresce de verdade!), outro deve substitui-lo no “underground” (e o mesmo acontece com os produtores).

O “problema” do rapper na verdade é com os novos artistas que criticam os já estabelecidos e os chamam de “desumildes” por trabalharem por “valores reais” e não “bolsa MC”.

“Esses artistas querem aparecer falando isso porque ninguém se disporia a pagar pra eles o cachê que os artistas já estabelecidos ‘pedem’. Você não é humilde porque faz show por um preço baixo, você faz show por um preço baixo porque investe pouco e ninguém se dispõe a pagar mais do que você está pedindo”, definiu.

Shaw ainda concluiu sua nota explicando que essa é uma fase natural da carreira, mas que enquanto existe uma crítica imensa aos “cachês extraordinários” do RAP, os artistas de outros estilos estão ganhando inúmeras vezes mais.

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*