A “homenagem” do Terra Preta à Anitta (30/10)

Dança nesse som” poderia ser uma música como outra qualquer do Terra Preta se não fossem as constantes repetições de seu desejo pelas “pernas da Anitta”.

A homenagem do rapper chegou até a funkeira que, pelo Twitter, respondeu em tom de aprovação.

As parcerias do Emicida com o MC Guimê e o clipe com o Neymar (03/11)

Assim que descobriram que Emicida estava gravando com o MC Guimê, os fãs do primeiro não puderam esconder o descontentamento.

Mas o rapper, acostumado com a falação, nem ligou e não só trouxe o funkeiro para seu primeiro álbum como também foi participar da música “País do futebol”, do Guimê, que ainda trouxe o Neymar no clipe.

Leia a publicação completa.

A morte de Bokão, ex-Trilha Sonora do Gueto (04/11)

LUTO! Descanse em paz, Bokao, Trilha Sonora do Gueto

Embora já tivesse, digamos, se afastado do RAP, a morte de Bokão, ex-Trilha Sonora do Gueto, em um acidente de moto causou comoção entre os fãs e principalmente integrantes do grupo.

Cascão, conhecido por ser o líder do T$G, até chegou a gravar um vídeo em que homenageia o amigo.

A campanha “Por que o senhor atirou em mim?” (10/11)

Depois que o jovem Douglas foi morto por um policial militar e proferiu a pergunta que deu nome à campanha, os rappers se uniram à população para expor a violência da polícia contra os jovens da periferia.

Além de debates, alguns nomes como DJ KL Jay, Dexter, Black Alien, Emicida, entre outros, gravaram um vídeo-manifesto, que você assiste acima.

A recusa do Eduardo ao “Programa do Jô” (19/11)

A recusa na verdade foi bem antes do dia 19, mas foi mais ou menos por essa época que a notícia repercutiu. E como repercutiu. Supostamente, o rapper iria ao programa falar sobre o seu livro “A guerra não declarada na visão de um favelado“.

A maioria dos fãs ficou ao lado de Eduardo na decisão, enquanto outros defendiam que o programa em questão ofereceria espaço suficiente para ele trocar uma ideia sólida e levar a mensagem mais longe.

Leia a publicação completa.

A proibição sem embasamento da PM aos eventos do Dexter e a reação do RAP (23/11)

Mesmo com os avais para a realização de um jogo de futebol e um show beneficentes, Dexter foi proibido pela PM de realizar os eventos.

Com a alegação principal de que não havia estrutura para os eventos desmentida, visto que os órgãos competentes já haviam aprovado, surgiu uma “alegação em off”: “Dexter faz apologia ao crime e os eventos seriam uma reunião do PCC”.

Correndo contra o tempo, o rapper e sua equipe recorreram as redes sociais para conseguir ajuda e no final deu tudo certo; o RAP se uniu e os eventos puderam ser rearranjados em outros locais e até na cidade vizinha.

Leia a publicação completa.

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*