Com o título de “Negros com diversas utilidades” e a foto de crianças negras sorridentes, um anúncio do Mercado Livre chama a atenção de Maria Rita, do Blogueiras Negras.

Por R$1,00, qualquer um poderia dar lances para adquirir o “produto”, que, de acordo com a imagem, já havia sido comprado pelo menos uma vez.

Escravos negros vendidos Mercado Livre

Leia mais:
– Lei “contra o racismo” completa 25 anos e… o que mudou?;
Sites publicam “microagressões raciais” que você ouve no dia a dia;
– Preconceito padrão FIFA: entidade veta apresentadores negros no sorteio da Copa 2014;
– Taxa de mortes violentas entre negros é mais que o dobro de taxa entre não negros;
– “O racismo acabou”, mas trabalhadores negros recebem salário 36,1% menor.

Obviamente, o anúncio era fictício. Entretanto, a suposta brincadeira expõe muito mais o tamanho do racismo ainda presente na nossa sociedade do que o humor que uma “brincadeira” deveria.

É aquela velha história que o Gabriel o Pensador muito bem ressaltou há tantos anos na “Racismo é burrice“:

E de pai pra filho o racismo passa
Em forma de piadas que teriam bem mais graça
Se não fossem o retrato da nossa ignorância
Transmitindo a discriminação desde a infância
E o que as crianças aprendem brincando
É nada mais nada menos do que a estupidez se propagando

Embora muitos isentem o Mercado Livre de culpa no caso, já que o anúncio foi feito por um usuário, é necessário refletir que um site que proíbe certos itens de serem comercializados precisa monitorar o que é publicado.

Mesmo assim, o problema é muito maior do que uma ferramenta em um site. O problema parece estar em uma ferramenta da nossa sociedade. Uma ferramenta que parece, cada vez mais, sem conserto.

Vi no Blogueiras Negras.

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*