Com quase 200 mil visualizações em seu clipe lançado em 2010 (abaixo), o Bro MC’s ainda continua imortalizando o guarani e divulgando o conflito de suas terras, no Mato Grosso do Sul.

Formado por índios da etnia Guarani Kaiowá, o grupo já levou seu RAP a programas e diversos outros locais do país, mas principalmente ao Paraguai, onde a língua guarani é falada por mais de 90% da população; os rappers misturam guarani com português em suas letras.

“Valorizamos nossa língua. Somos o único grupo indígena no Brasil que faz rap e mistura português com guarani”, disse Efe Bruno, um dos integrantes do grupo, de acordo com o UOL.

Assim como negros e pobres, predominância no RAP Brasileiro, os índios também têm muito o que contestar: as invasões de terra, as podagens, a própria desvalorização do índio e de toda sua história.

Entretanto, não o fazem apenas como reclamação, mas também aproveitam a oportunidade e, além de questionar os problemas, enaltecem toda cultura.

“A música brasileira é muito rica, e buscamos colocar isso na nossa porque não representamos só uma etnia, mas sim um Brasil de muita diversidade e muitos ritmos”, declarou Adany Muniz, outro integrante do grupo, à mesma matéria.

Cobrando apenas o valor da passagem para realizar suas apresentações, o Bro MC’s esteve recentemente em Assunção, Paraguai, para o festival “Todos com sawhoyamaxa”, organizado pela Anistia Internacional e pela ONG Tierraviva em solidariedade a um grupo indígena paraguaio expulso de suas terras por um criador de gado.

Vi no UOL.

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*