Em agosto, mais precisamente no dia 30, foi ao ar no Canal Brasil o programa “O bagulho é doido”, que é apresentado pelo MV Bill, com o Dexter.

Com 2 anos completados em liberdade, após 13 anos de exílio, o rapper comentou como o Hip Hop o ajudou a se manter vivo e são.

“O Hip Hop nasceu pra isso. É uma cultura que muda a vida das pessoas, que salva a vida das pessoas. E eu costumo dizer, há muito tempo atrás, eu sempre falei que o Hip Hop salvou minha vida”, conta. “O Hip Hop me ensinou que a base de um país é a educação”, acrescenta.

– Confira também: MV Bill e Dexter gravarão música juntos.

Entre outros assuntos, Dexter também contou algumas histórias pessoais de como seus versos seguem essa mesma direção de “salvar vidas” que tanto ele viu em outros RAPs.

“Esses dias eu fui fazer um show. A gente tá lá cantando e tem um garotinho assim com uma mochila nas costas e uma corrente na mão. Quando o show acabou, ele veio falar comigo. Ele falou: ‘É o seguinte, Dexter, eu queria te entregar primeiro esse presente’. Aí, me entregou a corrente, bonita, tá lá em casa guardadinha. ‘Queria te dar um abraço’, me deu um abraço. ‘E queria te falar o seguinte: eu to vindo do trampo, to até com a mochila aqui. Hoje eu trabalho numa firma onde a gente produz correntes; essa corrente que to de dando, fui eu que produzi. Mas, eu queria te dizer, que há um ano atrás eu trabalhava numa boca, eu era vapor. E hoje eu to nessa firma porque eu escutei a sua música chamada ‘Conflitos'”, contou destacando a importância desses gestos para que continue fazendo sua música.

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*