Nos últimos 9 anos, Ricardo Czapski, que é consultor financeiro e fotógrafo, registrou mais de 10 mil grafites espalhados pela cidade de São Paulo; são trabalhos de mais de 80 artistas.

“Percebi que essa é uma manifestação artística volátil, pois muitos muros e paredes são derrubados, pintados, pichados, e desse fato, veio à inspiração maior: desenvolver um trabalho de documentação para que essa arte não seja esquecida ou que tenha sido feita em vão”, contou ele ao Catraca Livre, que aproveitou para destacar que muitos dos trabalhos registrados já foram até apagados.

Para ampliar ainda mais a visibilidade das obras, o fotógrafo lançará, no dia 7 de novembro, um livro que reunirá 130 das 10 mil fotografias tiradas, intitulado “Graffiti SP”.

Além disso, o material está disponível na íntegra em um site especial e “serão doados 600 exemplares para as organizações dedicadas ao incentivo das artes de rua como: Projeto Quixote, Cidade Escola Aprendiz, Instituto Choque Cultural e Bibliotecas Públicas”.

Vi no Catraca Livre.

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*