Nesse domingo (10), Douglas Din lançou a música “Retificando“, com produção de Coyote Beatz.

Letra:

[parte 1]
É preciso ter
Disciplina, que rima não seja imã de vantagem,
Só. Peça de adorno ao invés de engrenagem.
Que esse mecanismo tenha uma direção.
Seu tempo, energia, principalmente, função.

Então. Segue o fast lane, stop no fast line.
Pra auto avaliação dar sentido ao show time.
Leitura completa, de um monte de linha reta.
Que não retifica a escrita. E a quem, este mal, afeta?

Fácil responder, desleixar ainda mais.
Quando a mente só figura cerimoniais.
Cessa-se protesto, nos tempos de glória. E
Na porta do inferno recobramos a memória.

Então, parei, me ouvi, revi, me ouvi de novo, cada letra.
Cada frase, e se quase, corta, quase é muita treta.
Preta, situação de quem se cria.
Pra que seja notável, sem pensar na serventia.

[refrão]
Ser-vir pra que tenha valor.
Ou/ Ca-lar se não houver amor.
Se a canção me toca, permita-me dividir.
O pouco que conquistei cantando por aí.
(2x)

[parte 2]
A cultura nos dirige ao pronto-socorro.
Principalmente quem se sente metade forro.
Escravos da tendência e escravos da violência aqui,
Ali, não haverá baile sem mundo, mc.

Bem longe de ser Cristo, na esquina a fila dobra.
Que estão só de passagem, pois no fim a vida cobra.
Se eu abri mão do ócio e a outra mão da farra.
Códigos de conduta marcaram mais que o de barra?

Fica a pergunta, mas, a vida não para, para.
Todos os efeitos não há droga que mascara.
Essa perturbação da falta de um propósito.
Essa deturpação que faz de nós depósito.

De ordens, ódio, preconceito, sonhos, sem tesouro.
Com tesão, dobrado, no adversário no matadouro.
Com tanto desvio, melhor revisar a folha.
Se o escrito não transforma o silencio é a primeira escolha.

[refrão]

[parte 3]
Menino, bom, quieto, solto ao mundo em crise.
Espectador da queda humana em reprise.
Campo minado, pise, a experiência frisa.
Se a bala não te encontra a depressão localiza.

Minha realidade, problemas sociais.
Má distribuição de renda mais conflitos raciais.
Talvez cedo demais, credo demais em disco.
Por isso se minhas linhas não superam o grau de risco.

Melhor retornar e revisar minha causa.
Pra não piorar a situação vale a pausa.
Bocas como dínamo, prontas pra gerar.
Amor e ódio e pelo pódio muitos nem vão se importar.

Com / a utilidade, se a cópia da cópia,
De quem tá sem rumo passa a ter escolha própria.
Vou/ sujando papéis com o que a mente organiza.
Se acrescentar a mim eu divido com quem precisa.

[refrão]

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*