RAPadura lança música O Monstro do Ceará

O dono de um dos flows mais monstros do Brasil está de volta.

Um nome de música nunca fez tanto sentido quanto esse. RAPadura é um monstro do Ceará e do nosso RAP também. Mais uma vez ele volta com seu flow e seu estilo Nordestino bastante característico. Os scratches do DJ RM dão um toque especial à música, compondo até o”refrão” da mesma.

O mais louco do flow do RAPadura, principalmente neste som, é que parece que ele tá apenas cuspindo palavras aleatórias que possuem um som parecido, mas na real, quando cê para pra escutar a música direito, tudo fica mais claro.

Claro que, como uma boa crítica, você precisa estar um pouco por dentro do que acontece no mundo e principalmente no RAP Brasileiro pra entender, mas deixo um destaque por aqui: “o lixo é pop, entope, remove. O hip hop é gari”.

Normalmente, foco na música e não falo muito da arte da capa, mas essa do Cristiano Gomes ficou incrível! Uma adaptação muito bem feita de King Kong com elementos do Ceará/Nordeste Brasileiro (Acima, a imagem está alongada para caber certo na nossa postagem. Para ver a original, basta fazer o download).

Abaixo cê confere a letra e o download oficial da música:

Letra: (Fonte: RAPadura)

pra devorar, escombros, milênios, os promos, os prêmios,
ponho, oxigênio, imponho, demos , combos, extremos
componho como gênio, do engenho, ofendo, seus aristóteles
cremo, as hipoteses, performance, incêndio, em metropóles
cuspo, a sinopse, em estrofes, que o público entona-me
o fluxo, move-se, envolve, o ser rústico, toma-me
repertório, aprimoro, incorporo, poros, artérias
devoro, os polos, desloco, o que toco, em blocos, matérias
sufoco, panelas, provoco, mortos, boto, a tampa
reboco, capelas, primórdio, invoco, aos corpos, que estampa
trampa! em mais, editais, magistrais, brutais, recitais, imortais
rurais sobresaem, adentraem, as tais, capitais
estatais, rádios, em decibéis, plágios, aos ponta pés
escrevo, esses cordeis, levo, os papéis, num estágio a mil pés
fiéis, sentem o intenso folego, fogo, espírito ao corpo
esforço, o esboço, não polpo, e devolvo, todo, povo ao topo

ficam em choque, tops, envelopes, não vão parí
o lixo é pop, entope, remove, o hip hop, é garí
vassouras!
varrem o sets, pregue, o durex, selem, editoras
produtoras
vestem, raps, playbacks, servem, cantoras
comprime, a remix, vise, a matrix, do streap, tease
oprime em hits, reprise em cliks, tinge o release
derrubo, sobre solos, tijolos, portifólios
subsolos, sobe aos podiuns, seus monopólios
protocolos!
rasgo a embalagem, vendagem, do fonograma
engrenagens, em prol, da fama
desabem, no hall, da lama
ferragens, com o pó, do drama, sua mix, tolisse
eclipse, sobre ouvintes, na superfície, extingue a mesmice
resiste, o risco, anônimo, frise o disco autônomo
agride, o vivo, sinônimo, xique, chico, o fenômeno
não, podem mais me parar, quando eu respirar
nada ficará, no ar, o monstro do ceará, toma!

esmago, espaços, físicos, flexão, sem recepção
engasgo, os traços, críticos, dicção, sem percepção
opacos, vagam, em círculos, fixão, sem concepção
palcos, apagam, títulos, por que são, só decepção
exposta, em nota!
mais que aposta, cobra, a resposta, com pé na porta
proposta, só sobra bosta, reprova, a obra, morta , corta!
a vinheta que alguém comporta!
é mal feita, a caneta, rejeita, a quem, me aborta
com a letra, ninguem, se importa, volta!
a forma primária, que outrora, prioritária
deforma a norma e retorna com aurora em reforma agrária
o árido compila, em estados, destribuí-la
o trabalho, destila, retira, espantalho não pode oprími-la
recuso, a química, artística, adubo, rima, em lavoura
produzo, lírica, agrícola, típica & duradoura
latas em conserva, máquina quebra, industria se enterra
o que sai dessa terra, o pássaro eleva, além do nível da serra

DOWNLOAD OFICIAL

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*