Um sentimento bonito vale muito mais do que centenas (ou milhares) de palavras. Com um flow inexplicável de tão incrível, RAPadura lança a música “Além mar” e fala um pouco das saudades de sua terra natal. A produção musical é do Projetonave.

Por mais que o rapper irá concorrer ao prêmio “Aposta MTV“, no VMB 2012, RAPadura já é bem mais do que uma aposta no RAP Brasileiro. Depois de lançar a mixtape “Fita Embolada do Engenho” e encantar o público com sua música, que mistura estilos nordestinos com o RAP, ele não para de crescer e já leva sua música pelo Brasil todo.

Parece que a parceria entre RAPadura e o Projetonave está longe do fim; pouco tempo atrás, eles já haviam lançado a música “Amor ao Labor“. Em “Além mar“, o rapper vai, realmente, além do flow incrível que já estamos acostumados e se agiganta em cima da bonita produção musical. Mas, em meio a uma quantidade enorme de palavras ditas e rimadas, o sentimento e o significado do som são facilmente captados.

RAPadura não rima um monte de palavras jogadas, sem nexo algum e repetidas, só pra se destacar. Muito pelo contrário, sua poesia e a homenagem às suas origens, tanto nas letras quanto no seu estilo, são suas marcas registradas. Ir além do mar sempre significou desbravar; desde a época das grandes navegações. Em “Além mar“, RAPadura fala um pouco dos caminhos percorridos, da distância e, consequentemente, saudade de sua terra natal, o Ceará.

Abaixo cê confere a letra da música:

VENTO VAI SOPRANDO O BARCO CARROSSEL
AVE POESIA MERGULHA NO CÉU
MOVIMENTA AS AGUAS FOLHAS DE PAPEL
RABISCANDO A ONDA REMANDO EM PINCÉL
TRANSPIRANDO EM CANTOS BORBULHANDO EM TANTOS
INSPIRANDO ENCANTOS, NAVEGANDO A VELA
CORTO HORIZONTE, ONDE O SOL SE ESCONDE
DESTINO RESPONDE, NA CAPELA
REMA RIMA RIMADOR, POESIA FLOR, JANGADA DO AMOR
DESENHANDO SONHOS PELA A TRAVESSIA COM LABOR
RECIFE GANHOU MAIS COR
SOBRE NOVOS TEMAS, COMPONHO POEMAS, PRA CANÇÃO
TOCANDO AO LIMITE, DESSA DIMENSÃO
ACEITO O CONVITE, DA INOVAÇÃO
EMITE O PALPITE DA SUPERAÇÃO
UH MINHA RESPIRAÇÃO, SENTE A REDENÇÃO, DA INSURREIÇÃO
INCORPORO A ALMA SOBRE O CORPO VÃO, PRA QUE A EXPEDIÇÃO, NUNCA SEJA EM VÃO
ENTRE AS ENTRELINHAS, RIMAS ANDORINHAS, NÃO VAGAM SOZINHAS
MARINHAS ESCRITAS
BEIJANDO A BAHIA, LINDA POESIA, NA MARGEM DA ILHA, GRAFIAS DA VIDA QUE SE VÃO
GAIVOTAS PASSEIAM PELO PENSAMENTO, TRAZEM AGUA VIVA PRA
QUEIMAR AQUI DENTRO
A MARÉ DESPIDA PELA AÇÃO DO TEMPO, ESPALHANDO AREIA TALENTO NO AR
NA ILUSÃO PRAIEIRA, COM A PAIXÃO ALHEIA, CANTEI PRA SEREIA, NO FUNDO DO MAR, DO AMAR
VENTO QUE SOPRA NO MAR

VENTO QUE SOPRAS NO MAR, LÁ NO HORIZONTE SEM FIM
VENTO QUE SOPRAS NO MAR, ME DIZ…
SE ELA PERGUNTA POR MIM

SIGO VELEJANDO CORTANDO A DISTÂNCIA
PELAS AGUAS FRIAS DESSA INCONSTÂNCIA
AS ONDAS SONORAS MOVEM MINHA DANÇA
JANGADA BALANÇA ME LEVA A ESTÂNCIA
PESCADOR DE OUTRORA, RESGATA A HISTÓRIA
ANTES DA AURÓRA, JÁ CANTA DE PÉ
NO ANZOL DE AGORA, JOGA E TRAZ PRA FORA
TODA SUA MEMÓRIA, PROMESSA DE FÉ
ENFRENTO A MARÉ, BRAVEZA DO SAL, CALOR LITORAL, SOBRE OS MEUS PÉS
COMO DEUS QUISER, CALE TEMPORAL, LEVE SEUS FIÉIS, ALÉM DO CONVÉZ MENESTRÉIS
LEVANDO ESPERANÇA, PELOS SETE MARES, DESPEJANDO MALES, POR ESSAS ANDANÇAS
VELHOS E CRIANÇAS, TROCAM DE LUGARES, ATÉ SE ACHAREM, NO FIM DA CHEGANÇA
LANÇA A IMPORTÂNCIA DE UM NOVO COMPOR
PRA QUE OS OLHOS BRILHEM E POSSAM SE EXPOR
QUERO A VENTANIA DO INTERIOR
PRA QUE O DESEMBARQUE SEJA O EXPLENDOR
OLHARES ME ESPERAM NO PORTO
QUE SE MANTIVERAM EM MEU ROSTO
QUE ME AQUECERAM ESSE TEMPO TODO
CALOR PARA O CORPO INTENSO FOGO
ALÉM DO TESOURO
AMOR DURADOURO, BEM MAIS PRECIOSO
TRAÇO CALOROSO, BRILHA MAIS QUE OURO
INTENSO RETORNO, PARA O MEU LINDO LAR
EU VOU MERGULHANDO EM PROFUNDIDADE, ATRAVESSO A MARGEM
POIS MINHA SAUDADE, NÃO PODE ESPERAR CALAR
O VENTO QUE SOPRA DO MAR

VENTO QUE SOPRAS NO MAR, LÁ NO HORIZONTE SEM FIM
VENTO QUE SOPRAS NO MAR, ME DIZ…
SE ELA PERGUNTA POR MIM

TERRA A VISTA, ME AVISTA, ESPAÇO DISTANTE, CORAÇÃO DE ALGUÉM
PAISAGISTA, DESENHISTA ABRAÇO CONSTANTE, NO QUE NÃO SE TEM
SENTIMENTO PONHO NA AQUARELA
DERRAMANDO SANGUE PARA RIMA BELA
ENTREGANDO AS FLORES PRA CANTIGA ELA
NAMORANDO O SOL NA BOCA DA JANELA
NESSE BARCO QUE ME CONDUZ, CORTANDO ESSE EIXO, COM VERSO QUE PUS
REMEXO, O DESFECHO, DESPEJO, MEU BEIJO, ALMEJO, O DESEJO, DE UM FECHO DE LUZ
EM ALGAS COMPUS, EM MAPAS EXPUS
O QUE ME CONDUZ, A TERRA NATAL
CEARÁ, EU JÁ TO PERTO DE CHEGAR
EM TUAS AGUAS SEM IGUAL
EU QUERO SABER PERGUNTA POR MIM?
ESPERA POR MIM? SAUDADE MIM?
FALA ASSIM PRA MIM
NOSSO AMOR É GRANDE E NÃO TEM FIM
TA DEMORANDO PRA VIM
SAIBA QUE VC NUNCA SAI DE MIM
POR ISSO NAVEGO NO TEU INFINITO
NESSE TOM BONITO, SALGADO E LIMPIDO
QUERO AS TUAS LIRAS NO ESPIRITO
ISSO E ALCIDES GERARDI, RAPADURA E PROJETONAVE
DESCOBRIDORES DE TODOS OS MARES, ABRINDO O BAÚ DO SOM COM ESSA CHAVE
TOCO SOLO DESSA MARÉ CHEIA
JUNTO COM A AREIA QUE ME RODOPEIA PRO FUNDO DO MAR, DO AMAR. VENTO QUE SOPRA NO MAR

VENTO QUE SOPRAS NO MAR, LÁ NO HORIZONTE SEM FIM
VENTO QUE SOPRAS NO MAR, ME DIZ…
SE ELA PERGUNTA POR MIM

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*