Depois de fazer um puta barulho com um dos melhores cds de 2011, “Além da Razão, do Xará, o selo musical Blade Rio apresenta uma pedrada de mais um de seus artistas: “Deixa eu fumar”, do Gutierrez.

A música, que defende a legalização da maconha, ainda conta com Dudu Etílico e Maomé, integrante da Cone Crew Diretoria. A produção ficou com o francês quase brasileiro, Damien Seth!

Gutierrez não é nenhum novato no RAP. Além do single “Agora chora”, de 2011, que fez um puta barulho e integrará o cd “Selvagem”, o rapper já tinha lançado a mixtape “Corpo Fechado”, que foi muito bem recebida.

Em “Deixa eu fumar”, que também integrará o cd “Selvagem”, Gutierrez, Maomé e Dudu deixam explicíto sua apreciação pela erva e defendem a legalização da mesma, como forma de buscar paz e calma após o trampo, por exemplo.

O tema em questão não é nenhum novidade no RAP, tanto é que, na própria música, Gutierrez reproduz versos do Planet Hemp, grupo histórico do RAP Brasileiro que ficou bastante conhecido pela sua defesa da legalização da droga.

Faça o download oficial da música “Deixa eu fumar”.

Enfim, “Deixa eu fumar” veio pra intensificar o pedido e também pra mostrar um pouco mais do que o rapper Gutierrez e a Blade Rio estão preparando para 2012.

Abaixo cês conferem a letra da parada:

Letra: (Fonte: Gutierrez)

[refrão]
desberloto, ponho na seda
aperto, passo a goma
acendo, deixa eu tossir
deixa eu fumar

[verso 1]
3 qualidade, nenhuma comercial
muito lírico, fumaça especial
neblina cem por cento natural
zero, em mortalidade mundial
6 dia no estúdio sem dormir faço um disco
100 grama de maconha e cafeína 20 litro
minha alma sai do corpo, vira parte da música
e a vida íntima, vira pública
tô sempre no incêndio, normal vê só fumaça
com a rotina tranquila, boldo e cerva na praia
todos conhecem o Rio, terra de rato e gata
terra onde o paraiso, vê o inferno e abraça
sequência rastafari em qualquer lugar
pago o que consumo, então pode fotografar
nas melhores naite daqui, eu sempre tô
fumando ou pensando no próximo que vou fumar

[refrão]
desberloto, ponho na seda
aperto, passo a goma
acendo, deixa eu tossir
deixa eu fumar

[verso 2]
eu canto assim porque fumo maconha
adivinha quem tá de volta explorando sua vergonha
querem outra “Fallujah”, mas tô quase na merma onda
senhor das armas, vou carburando as bomba
olho vermelho, monstro, mas focado igual Eike
rindo muito, Chaplin, mas trabalho igual Baby
flow enfumaçado
sempre bem chegado, foda-se os band-aid
sumi da rua, mas apareci nos palco
consegui me manter vivo e bem longe dos falso
eu inspiro pessoas, simplesmente vivendo
dou uma volta lá fora e deixo minha alma escrevendo
depois da sessão, enxergo em widescreen
acho que sou do Greenpeace, porto vários green
essa porra é minha paz, 15 ano igual chinês
sem a planta não dá mais (smoke weed everyday)

[refrão]
desberloto, ponho na seda
aperto, passo a goma
acendo, deixa eu tossir
deixa eu fumar

[Maomé]
quem fuma corre o risco de na rua ser enquadrado
ficou fichado? vai ver o sol nascer quadrado
eu fiquei indignado, perdi grana, só uma grama
um beck verde-claro, novidade do Alabama
baseado ganha fama e tem seu nome registrado
hidropônico, boldinho, benga, palha ou mentolado
fui comprar, fiquei bolado, vai pro ponto que partiu
quem vende o fumo sagrado, vende crack e tem fuzil
governantes do Brasil, vocês vão ter que aceitar
não tem por que proibir, se todo mundo quer fumar
quem se mata de trabalhar, quer sorrir e sair do tédio
a erva é procurada em massa, o puro assédio
santo remédio, capaz de te salvar do coma
alivia os hematoma e cura insônia
separa a semente e os galho, enrola, acende e passa a goma
quem reprime diz que fede, mas eu gosto do aroma

[refrão]
desberloto, ponho na seda
aperto, passo a goma
acendo, deixa eu tossir
deixa eu fumar

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*