Pra quem não sabe, este ano é bissexto. Resumindo, possui o dia 29 de fevereiro. Graças! Pois é neste dia que o Guerreiro Silencioso do RAP Brasileiro faz aniversário. É neste dia que Kamau completa 36 anos de vida. E foi exatamente neste dia que o mesmo lançou o clipe da música “Por onde andei“, primeiro lançamento de seu mais novo cd “…Entre…“.

A música é um jogo foda de palavras do início ao fim. Quem escuta desatento pode achar que ele tá repetindo a mesma coisa, mas se você parar para ver a letra (logo mais abaixo), você entenderá perfeitamente a beleza dos versos. Uma parada da hora que a música trata é o fato de ele ter pensado várias vezes em desistir, mas seguiu no caminho, no caminho certo. Em pouco menos de 2 minutos de versos, o rapper resume sua trajetória e deixa claro, para nosso alívio, que muito ainda há de vir.

O clipe é fora de série. Não é à toa que demorou em torno de 6 meses para ficar pronto, de acordo com o que Kamau falou em uma twitcam logo antes do lançamento. Com dicas do próprio rapper e produção da Pexera Produções, a parada ficou classe A. Não só a ideia do skate, da relação com “caminhada” e a paixão de Kamau pelo esporte, mas também os efeitos do refrão encaixaram-se perfeitamente.

Como numa daquelas chamadas cafonas, “no aniversário do Kamau, nós é que ganhamos o presente”. Cafona, mas é verdade. Se esse for o convite para o novo cd que deve sair este ano, por favor que venha! Muitos rappers se perdem com os anos, mas o  “guerreiro silencioso” se manteve verdadeiro, como ele mesmo disse, “silencioso, mas nunca quieto”!

Parabéns, Kamau!

Abaixo cês conferem o clipe e a letra da música:

Letra: (Deixem correções nos comentários)

O tempo passou e ainda tô por aqui
Fico pensando em cada voz que se calou por aqui
Eu vou por aqui, por que que ninguém foi por aqui?
Porque pensaram que seria mó boi por ali
Se fosse cair no conto que escutei por aí
Eu não teria nada do que conquistei por aqui
Um pouco dali, juntei com outro pouco daqui
Construi, pé no chão, mas vejo o topo daqui
Chego lá, pode deixar, sem esquecer quem eu sou
De quem fez pouco e tirou
Quem fez um pouco e trincou
Sem rancor, só amor, que nem falei lá na “Só”
Abandonaram o “PA”, mas segurei meu “BO”
Conduzi, trouxe meus valores pra cá
Ou será que meus valores me trouxeram aqui?
Só sei que de onde eu tô, não tem como voltar
Não penso mais em parar, minha opção é seguir

Por aqui, por aí, por aqui, por aí…

Fiz um role por aí, pra saber como é conhecer
Fui a pé, de buzão, avião, a milhão, devagar aprendi
Cada lugar é um lugar, entendi
Linguajar, popular, dialeto
Me fiz entender, proceder sempre reto
No jeito de ser, quase sempre discreto
Silencioso sim, mas nunca quieto
Deixei boas impressões onde deixaram rastro
Sem pretensões de me tornar um astro
Só deixei minha estrela brilhar
E iluminar os caminhos que eu iria trilhar
Por aí, ainda tenho alguns lugares pra ir
Pessoas pra conhecer, tem coisa pra acontecer
Deixa a caneta correr, naturalmente ela flui
Se perguntarem de mim… diz que fui!

Por aqui, por aí, por aqui, por aí…

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*