Pros que não sabem, os que provavelmente estiveram em coma esses últimos dias, o rapper Rashid lançou a mixtape Dádiva e Dívida, que chegou às ruas no último dia 06. Era um cd muito aguardo, pelo menos eu esperava muito dele. No dia 17, Projota veio fazer um show em Blumenau, e acabei pegando com ele a nova mixtape do Rashid e resolvi fazer esta resenha para falar um pouco do que achei.

Não me considero um conhecedor profundo de RAP, muito menos de música em geral, mas meu fanatismo pelo estilo e todas as músicas ouvidas, decoradas, lembradas, me dão um certo conhecimento pra afirmar em todas as letras: Dádiva e Dívida é uma pedrada atrás da outra! Além de toda versatilidade já há muito tempo apresentada por Rashid, indo de músicas “calmas” até os RAPs mais pesados, o rapper traz muita inteligência em suas rimas, continuando o caminho de protesto já mostrado em sua EP – Hora de Acordar.

Não quero aqui comentar track por track, porque não me cabe, e sim ao próprio MC que poderia comentar peculiaridades, mas algumas coisas me chamaram a atenção. Primeiro na faixa “Revoilusão“, na qual ele cobra a revolução dos que se dizem revolucionários. Não só arrepiado, mas fiquei muito feliz de ver que Rashid não perderá essa conexão com a luta do povão, mesmo com suas músicas se tornando mais populares, ele mantém seu estilo. E isso se repete em outros sons, como na faixa 9 “Almas e Copos“.

Segundo, a faixa 10 “E Se REMIX“. Gostaria de dar destaque pra ela não só por que “E Se” é uma das músicas que eu mais curto do RAP Brasileiro, mas também pelas participações e pela ideia de um REMIX. Acho muito difícil pegar uma música já “consagrada” e remixá-la do jeito que fizeram. Muito mais difícil dar certo como deu, por isso aplaudo a iniciativa e cada um dos versos. Sem contar que, puta merda, que refrão da hora! Colocar todos pra cantarem o refrão ficou foda! Parabéns Rashid, Phill, Massao, Kamau e é claro, Laudz pela remixada no beat.

O meu terceiro destaque é pras bases. No RAP uma letra pode salvar um beat ruim, como um beat pode salvar uma letra ruim. E o que acontece quando temos letras fodas em bases fodas? R: Dádiva e Dívida! Acho que a primeira vez que ouvi o cd, fiz “UOU” pra cada uma das batidas, sem brincadeira. Laudz, DJ Caique, Hand, Skeeter, Damien, Casp tão de puta parabéns pelo trabalho, incrível! Além é claro do próprio Rashid que produziu nada menos que 4 faixas no cd!

Bom, dei apenas 3 destaques pra não cansar quem lê, se fosse o caso de justiça, destacaria tudo, da faixa 1 à capa do cd! Não cansaria de elogiar os envolvidos se achasse que isso fosse necessário, pois pra quem assumiu ter “rimas ruins” quando moleque (Rashid cita na música ‘Poucos e Bons‘), o Rashid chegou longe, MUITO longe. Coloquei muita fé nesse cd e garanto que ela foi retribuída, garanto que Rashid pagou essa “dívida” com seus fãs, que esperavam muito de Dádiva e Dívida. Sua maior “dádiva” nem é rimar, pois acredito que isso veio de todo esforço e dedicação em seu dia a dia, mas sim a justiça e verdade em cada um de seus versos para transmitir a realidade a um povo que precisa disso. Precisamos de mais artistas que usem sua arte pra chamar a atenção do povo a algo que está acontecendo, e fazer isso sem perder a qualidade do som e da produção. Precisamos de mais alguns Rashid, se é que me entendem…

Não perca mais nenhum post!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

*