Nem precisamos ir muito no passado em nossas pesquisas pra destacar o quanto a cena do RAP Brasileiro mudou e mudou nos últimos anos.

Pra quem tá chegando agora ou pra quem só quer tentar entender um pouco melhor essas mudanças, recorremos ao próprio gênero musical e separamos 7 músicas recentes que trazem em suas letras interessantes visões sobre a atual cena.

São 7 sons que, de uma maneira ou de outra, trazem o RAP/Hip Hop como tema principal e debatem questões que estão muito fortes hoje, como a popularização pelo maior acesso à tecnologia, o aumento da grana envolvida, a competição em detrimento da parceria, entre outros.

Lembrou de alguma música que bate com essas características e deveria estar nesta lista? Deixa nos comentários!

Mundo do RAP – Shaw

Artista: Shaw
Álbum: Ruas Vazias
Ano: 2007

Embora o título seja diretíssimo, esta é talvez a faixa mais genérica do tema; o fato de ser a faixa mais antiga pode ter colaborado. De qualquer modo, Shaw toca em vários pontos importantíssimos da questão: contradições, mente fechada, a cobrança pra cima do estilo e das linhas do MC, a diminuição dos rappers parceiros e ouvintes do trabalho dos outros pelo aumento da competição, etc.

Resistência – Kamau (part. KL Jay e Carlus Avonts)

Artista: Kamau (part. DJ KL Jay e Carlus Avonts)
Álbum: Non Ducor Duco
Ano: 2008

Kamau deu uma aula, mais uma vez. Mesmo o som já tendo mais de seis anos, ele parece ser de ontem. Não à toa, o rapper lançou um remix sem mudar seus versos, no EP “…Entre…”. A grande acessibilidade que a tecnologia trouxe, que fez brotar um MC em cada esquina; a necessidade da união; a necessidade de se manter mente aberta pra se adaptar bem a tantas mudanças; o dinheiro e todo blablabla de vendido que ele traz são apenas alguns dos tópicos levantados.

Isso não pode se perder – Emicida (part. Xênia)

Artista: Emicida (part. Xênia)
Álbum: Emicídio
Ano: 2010

Emicida talvez não fale tanto sobre o atual momento como fala com saudosismo de momentos passados. Entretanto, ressaltar a importância de manter certas crenças e atitudes é um jeito de mostrar que hoje esses momentos não são tão valorizados como deveriam. O maior dinheiro na cena, a maior atuação dos rappers com os negócios, a necessidade de manter o coração na parada e nunca esquecer as raízes também tão presentes.

Vamos acordar… – Síntese

Artista: Síntese
Álbum: Sem cortesia (Vagando na Babilônia)
Ano: 2012

Bem mais atual que os outros citados, o Síntese praticamente apresentou o resultado do que o Kamau cantou quatro anos antes. Se naquela época a tecnologia já fazia surgir um MC por esquina e a qualidade era duvidosa, nesta cantada pela dupla de São José dos Campos isso fez com que muito dos MCs que eles consideram de responsa perdessem espaço. A distância entre os elementos que compõem a cultura, a importância daqueles que amam a parada para que ela siga viva e a necessidade de valorizar mais o conteúdo são alguns dos temas atuais apresentados.

★ 1970 † ∞ – Slim Rimografia

Artista: Slim Rimografia
Álbum: Aumenta o volume
Ano: 2013

Além do cântico em coro que anima todos que pertencem de verdade à cultura e prova de que um pouco pelo menos tem sido passado de geração pra geração, Slim também fala da maior presença da grana na cena, da tecnologia, a preocupação com a popularidade da música e não tanto com sua mensagem.

Gil Scott Heron – Marcello Gugu

Artista: Marcello Gugu
Álbum: Até que enfim, Gugu
Ano: 2013

Marcello Gugu também deu uma aula, quase que literalmente. O rapper conta em rimas parte da história desde os primórdios do RAP/Hip Hop, possivelmente de uma época que nem chamavam assim ainda. Junto dessa aula de história, o rapper chega em discussões mais atuais como a rivalidade muitas vezes criada ao invés da parceria, o blablabla sobre se vender, a necessidade de manter a cultura unida pra mantê-la viva, a disputa entre popularidade e conteúdo das músicas.

Cuidado! Tem guardinha no Rap – Raphão Alaafin (part. James Bantu)

Artista: Raphão Alaafin (part. James Bantu)
Ano: 2014

Embora trate praticamente de uma temática única e bastante específica, é uma das mais atuais na cena do RAP Brasileiro. Raphão satiriza de todas as maneiras possíveis essa vigilância constante que os rappers tem feito entre eles. Na visão dos rappers, essa vigilância que evolui para ataques em letras é só uma maneira de tentar aparecer e ganhar uma popularidade nas costas do outro.

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*