Ao mesmo tempo que locais abandonados refletem a má administração do dinheiro público, eles muitas vezes servem como uma “tela em branco” para os talentosíssimos improvisos dos artistas de rua.

Muros graffitados para dar nova cara ao cinza da cidade; prédios revitalizados; e até trens. Isso mesmo, em Teresina, no Piauí, os caras deram uma nova vida a um vagão completamente destroçado.

Mas uma nova vida mesmo. Não só pintaram a lataria, mas também transformaram o espaço em um Centro Cultural com Internet gratuita, cursos e uma rádio comunitária.

“Tive a ideia em 2010 junto com alguns colegas, após observar que o vagão poderia ser usado de alguma forma. Nessa época, ele já estava abandonado há mais de 15 anos. Fizemos uma parceria com a prefeitura e o governo do estado para transformá-lo em um centro. Começamos a reforma ainda mesmo em 2010, mas como não tínhamos muita condição as melhorias foram feitas aos poucos”, explicou Gil Ferreira, o Gil BV, ao G1.

Com o apoio da Agência de Tecnologia da Informação (ATI‍), da Casa Hip Hop e de vários outros parceiros, a reforma foi finalizada este ano e já existem planos para ampliá-la.

A ideia é colocar na área externa um palco para atrações, plantar árvores, colocar banheiros químicos, além de oferecer aulas de capoeira, futebol, judô e várias outras atividades para as crianças da comunidade.

Hoje, o vagão conta com 11 computadores e no começo de novembro passa a oferecer dois cursos de informática; à tarde, o espaço é aberto para a comunidade ter livre acesso à internet.

“O nosso objetivo é sempre reunir, agregar, oferecer uma possibilidade, oportunidade para as comunidades, principalmente essa que tem poucas ações. Aqui é considerado um local muito perigoso e na tentativa de oferecer uma mudança estamos com atividades de interesse e que já coloca o aluno no mercado de trabalho. Estamos sempre abertos para novas ideias e novas contribuições, pois somos também os responsáveis”, afirmou Gil BV.

Vi no G1.

Vagão revitalizado por graffiti no Piauí

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*