A participação do Brasil na Copa do Mundo de futebol pode até levantar ainda algumas dúvidas, mas na poesia já há uma certeza: foi um sucesso.

Representado por Emerson Alcalde, o país chegou à final na França (Grand Slam de Poesia 2014) e só não foi campeão por um décimo; empatou com o Canadá em 87,5 pontos depois de três passagens e acabou perdendo no desempate.

Mas, a derrota é simbólica, porque o resultado é uma grande vitória. Este é o mais longe que um(a) brasileir@ chegou por lá: Roberta Estrela D´Alva, a primeira a representar o Brasil, conquistou a terceira posição; Fábio Boca e Lews Barbosa (Potencial 3) também já participaram.

Emerson Alcalde conquistou sua vaga ao ganhar, ainda no Brasil, o “Slam do Grito”, o “Slam do 13″ e o “Slam SP”.  Aos que não frequentam os Slam e Saraus, ele também participou do CD “…entre…”, do Kamau, lançado em 2012.

“Não temos tantas palavras, mas com as poucas que aprendemos estamos transformando a nossa realidade e mostrando para a academia que a literatura contemporânea brasileira está aqui”, defendeu ele em referência à literatura oriunda das periferias.

Assista às apresentações do Emerson Alcalde na final da Copa do Mundo de Poesia 2014:

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*