Capa do CD Contra nós ninguém será, do Edi Rock

Quando você escuta que um integrante do Racionais vai lançar um CD solo, fica foda segurar a euforia; não só pela qualidade esperada, mas pelas novidades e a comparação com o trabalho do grupo é inevitável.

Mesmo sem saber muito sobre música e ter nascido só em 90, parece-me bastante perceptível a inspiração nos anos 70/80. O ritmo dançante dos bailes que predominam confirmam isso, além dos interlúdios com chamadas de rádios, que se hoje já não são tão fortes, nas décadas citadas eram estouro!

Às vezes, acho que Edi Rock fez um CD tão musical, tão diferente do Racionais, não só para se destacar, mas mais pra se afastar do que fazia com o grupo. Não por ser contra ou qualquer coisa do gênero, mas porque, quando você faz parte de um dos grupos mais respeitados do país, não faz sentido lançar algo solo pra fazer a mesma coisa.

– Saiba mais e ouça o CD “Contra nós ninguém será”.

O que me deixa uma dúvida: será que tantas participações eram necessárias? Particularmente, as escolhas foram bem loucas e o trabalho ficou completo, mas se era o momento de destacar seu trabalho pessoal, será que tantas músicas com apenas uma estrofe sua são a solução?

Por outro lado: que participações! “Selva de pedras” abre o CD com um instrumental acalorado nas palmas e um cântico incentivador no refrão, pra positividade em meio aos versos que narram as dificuldades. Na “Liberdade não tem preço“, a celebração de algo tão importante como a soltura de alguém tão grande no RAP Brasileiro como o Dexter; isso sem contar toda qualidade nas rimas apresentadas pelos dois monstros. Na contestável temática da “Cava cava” uma sincronia e ritmo invejáveis com Don Pixote e Emicida que lembram os cânticos proferidos por trabalhadores para manter o estimulo.

Abrem-se os caminhos” não só conta com participações de peso e importantes, mas a própria letra tem tudo a ver com essa união de gêneros tão forte, com Falcão e Alexandre Carlo. Helião e Lino Krizz chegam pesadões na interessantíssima “Homem invisível“, que faz uma alusão às pessoas ignoradas na nossa sociedade; o próprio Edi Rock apresenta essa ideia de forma muito boa; mas, é quando o Mano Brown aparece com um flow diferente da maioria das coisas que ele já fez que o bicho pega.

Muitos criticaram porque o Brown não se adequou ao tempo da batida; pra mim, esse foi o grande ponto positivo dos versos dele. Eu sei que RAP é música e assim como todos os outros gêneros musicais tem que blablablabla… RAP da hora é o que te faz pular da cadeira e gritar “como essx desgraçadx fez isso?!” ou “Cê ouviu o que ele falou? Carai!”.

Na contramão de tantas participações, a “Estrela de David” se destaca pela simplicidade de uma história que é a do David, mas poderia ser de milhões de brasileiros espalhados por aí, principalmente nas periferias. Edi Rock mostra que mesmo em meio a tantas mazelas, é possível bater no sistema sem apelar para o crime.

A verdade é que nenhuma das outras 22 faixas chegou perto da previamente lançada “That’s my way“, a melhor de 2012. É comum lançaram as músicas de destaque antes para chamar a atenção para o CD, mas esta foi “sacanagem”. Mesmo com rimas afiadíssimas, o rapper não deixa de, mais uma vez, incentivar os ouvintes a seguirem lutando; incentivo completado no refrão inesquecível do Seu Jorge, que talvez seja o maior representante da música negra no Brasil hoje. Se “o RAP é hino” pro Edi Rock, “That’s my way” é hino pra gente! 

Não satisfeito, o rapper ainda contou com feras como Ice Blue, Sandrão, do RZO, DBS, Rael, Flora Matos, entre outros. Se o número de participações foi escolhido durante o processo, como eler falou no “Papo com o Benja“, o título do CD é um reforço. Edi Rock não reuniu um bom time, reuniu logo uma seleção! A diversidade sonora mostra toda liberdade criativa que o rapper teve ao gravar; e quem conseguiria “ser contra” um ataque de tantas frentes?

Contra nós ninguém será – Edi Rock

  1. Selva De Pedra
  2. Voce Nao Pode Se Enganar
  3. Estrela De David
  4. Na Rota Da Ambição (part. DBS e Túlio Deck)
  5. Salve Negoo
  6. Interlude
  7. Aro 20
  8. Eu Canto Uq Soul (part. Flora Matos e Rael)
  9. Voltarei Para Voce
  10. Abrem-Se Os Caminhos (part. Falcão e Alexandre Carlo)
  11. Interlude
  12. Gangstar
  13. Cava Cava (part. Emicida e Don Pixote)
  14. Liberdade Nao Tem Preço (part. Dexter)
  15. Nao Deixe A Minima
  16. Interlude
  17. Ta Na Chuva
  18. Ultima Missao (part. Karin Hils e Nego Jam)
  19. Final Feliz (part. Vanessa Jackson)
  20. Interlude
  21. Thats My Way (part. Seu Jorge)
  22. Homen Invesivel
  23. Viver E Deixar Viver

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*