Com dezenas de milhares de visualizações, um clipe vindo do interior chamou a atenção do RAP Brasileiro em 2012: “Não posso murmura” abriria os caminhos para Coruja BC1 lançar sua mixtape logo em seguida.

Até surdo ouviu” foi o primeiro, mas com certeza não o último CD do rapper, visto que prepara um para ser lançado em breve. O trabalho de produção musical ficará por conta do DJ Caique.

“É daora trampar com ele, temos sintonia e o Caique é monstro no que faz! Ele foi, graças a Deus, mais um mano que acreditou no meu trampo e isso me deixou muito honrado. Agora a MIX levará o nome de ‘A voz do coração’… Podem esperar que vem o trampo vem pesadão!”, alertou Coruja.

Exemplo de artista do interior que conseguiu vencer o monopólio centrista que muitas vezes inibe diversas novidades no cenário, ele também comenta sobre a necessidade de levar o RAP a todos os cantos: “Muita gente no Brasil ainda não tem internet ou condições de pagar um show, por mais que ele custe 5, 10 reais. Ainda existem pessoas que não tem isso! Por isso estamos lutando não só pra difundir o rap em Sampa, mas em todo canto onde exista alguém esperando uma mensagem.”

Mais do que Bauru, São Paulo ou até mesmo o Brasil, Coruja começa a ampliar o alcance da sua música no âmbito internacional também. Recentemente, passou pela Argentina para gravar uma música e um clipe com o rapper local Emanero.

“Esse rolê me ensinou muitas coisas como Ser humano e MC, e expandiu minhas ideias relacionadas a produção musical. Foi mil grau! Quanto ao clipe, estamos trabalhando para que ele saia antes da MIXTAPE, mas como qualquer produção independente, dar datas especificas é complicado”, explicou ele.

Abaixo você confere a entrevista completa:

Coruja BC1

Antes de mais nada, lemos na sua descrição que o “BC 1” seria algo como “Busca do conhecimento em primeiro lugar”, é isso mesmo? E por que Coruja?

Sim, “buscando conhecimento’’, e o número 1 simboliza a busca constante pelo mesmo, pois acredito que sempre podemos aprender mais. Já o apelido “Coruja” veio na minha infância, quando eu tinha 7 anos de idade todos diziam que eu tinha cara de Coruja (rsrsrs)… No começo eu não gostava, mas depois fui me acostumando e acabou ficando assim.

Sobre o clipe “Liga os Colômbias”, não queríamos falar muito, porque já falamos especialmente em uma publicação no site. Entretanto, agora que ele está de volta no ar e foi parar na MTV, parece obrigação perguntar: além do respeito pelos fãs da sua música, o que mudou?

Hoje conheço mais sobre políticas e leis relacionadas ao tema abordado na música. Muita gente me reconhece na rua por esse clipe, mas também pelo clipe da “Não posso murmurar”, o que me deixa feliz, pois não pretendo ser um artista de uma musica só.

Foi daora ver um trampo do interior paulista chegar na MTV, e fico felizão com o reconhecimento das pessoas e pelo apoio que elas me deram em cada momento dessa luta enquanto decidiamos os detalhes sobre a permanencia do clipe no Youtube e o envio para veiculação na MTV.

Seu trabalho tem dado tanto resultado que recentemente você fez uma passagem e umas gravações pela Argentina; como que rolou esse contato com o Emanero e como foi a passagem por lá? Já tem data pro clipe?

Então, o contato rolou através do meu irmão de consideração Marco Dantas, que trabalha com a gente e vem somando desde o começo. Ele mora na argentina, perto de onde mora o Emanero, ai ele apresentou meu som e o cara curtiu. Após alguns dias ele me deu um salve e perguntou se eu toparia gravar um som em Buenos Aires, e como ele já havia conversado com o Emanero e agilizado as passagens, hospedagem e estudio, rolou tudo certo. Falamos com o Skeeter sobre a produção desse trampo e ele também topou, ai produziu um beat monstrão e o resultado ficou foda! Esse rolê me ensinou muitas coisas como Ser humano e MC, e expandiu minhas ideias relacionadas a produção musical. Foi mil grau!

Quanto ao clipe, estamos trabalhando para que ele saia antes da MIXTAP, mas como qualquer produção independente, dar datas especificas e complicado. A correria é monstra! O clipe foi produzido pelo próprio Marco Dantas e o Rafael Pessotto, que também veio de Bauru comigo acompanhando e captando imagens de todo o corre desde do interior paulista até Buenos Aires.

Falando em participações, sempre gostamos de saber que tipo de parceria pode vir a acontecer. Você tem algum rapper brasileiro que gostaria de rimar junto em um som? E fora do RAP, algum outro artista?

Sim, com certeza! Admiro o trampo de vários manos que também estão no corre do rap, e tive o prazer de ter alguns deles participando da minha nova MIXTAPE, que sai entre o mês de agosto e setembro… Fora os que estão nela, gostaria muito de um dia ter a honra de fazer um som com o Mano Brown, Pai Lua, e vários outros que admiro.

Quanto a outros generos musicais, seria uma honra a parceria com duas pessoas que já não estão entre nós, mas que me influenciam muito até hoje. Adoniran Barbosa e Elis Regina.

Nas capitais, devido a fatores óbvios, o RAP e outras culturas são bem mais presentes. Entretanto, o interior tem chegado muito forte e você é um exemplo disso. Como que tá a cena do RAP em Bauru? Você tem essa pretensão de criar uma cena forte, talvez um selo musical com vários artistas locais e eventos, ou você acha que o seu papel é fazer o som e outros caras que apareçam e trabalhem nessa área?

Bauru sempre teve uma cena que apresenta grandes talentos musicais e artisticos, e o Hip Hop sempre foi muito forte lá. Existem muitos talentos sendo revelados no interior paulista, e em 2012 e 2013 a cena tomou uma proporção maior e consequentemente chegou a capital.

Eu particularmente tenho 3 grupos como referencia dessa cena. Betin mc, Thigor mc, e Além da Rima, que também são de Bauru. A cena ta forte lá! Não é o Coruja apenas que tá fazendo o rap no interior chegar mais longe, são todos os grupos de várias cidades que estão se empenhando e expandindo cada vez mais o conhecimento em relação a produção musical, management e social media. Afinal temos que saber não só como gravar um trampo, mas também como divulgar, administrar o tempo, as redes socias entre outras coisas que são essenciais para que nossa mensagem chegue a todos, não só na Capital de SP, mas também às pessoas que estão fora desse eixo em que os shows são realizados. Muita gente no Brasil ainda não tem internet ou condições de pagar um show, por mais que ele custe 5, 10 reais. Ainda existem pessoas que não tem isso! Por isso estamos lutando não só pra difundir o rap em Sampa, mas em todo canto onde exista alguém esperando uma mensagem.

Quanto ao selo, é algo que ainda estou pensando com cautela… Afinal estamos em plena produção da MIXTAPE, fazendo shows, contatos, viajando.

Pra finalizar, um pouco do futuro. Seu primeiro clipe tem dezenas de milhares de visualizações no Youtube; seu novo, passou dos cem mil em poucos dias. Seu CD também movimento e deu uma base pra sua carreira. Quais são os próximos passos, próximos lançamentos e, principalmente, a expectativa pra esses trabalhos?

Agora o foco é na MIXTAPE, que acabamos mudando de nome. A maior parte das produções são do meu mano Dj Caique, assim como as master, mixagem e captação de voz. É daora trampar com ele, temos sintonia e o Caique é monstro no que faz! Ele foi, graças a Deus, mais um mano que acreditou no meu trampo e isso me deixou muito honrado. Agora a MIX levará o nome de ‘’A voz do coração’’… Podem esperar que vem o trampo vem pesadão!

Agradecemos mais uma vez a participação. Se quiser deixar alguma mensagem para os fãs aqui no final ou algo do gênero, por favor, toda liberdade.

Gostaria de agradecer primeiramente o Vai ser rimando, que por mais uma vez tá na sintonia com a gente, com o trampo independente, com quem ta no corre. Obrigado mesmo, de coração!

E a mensagem que eu deixo pra quem curte nosso som, é que só tenho a agradecer pelo apoio nas ruas e nas redes, e que muito em breve vamos lançar novos trampos e espero que estes possam acrescentar algo na vida de todos.

Que Deus nos proteja. Graça e paz, familia! #InteriorTemVoz.

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

2 Comments

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*