Depois de um CD que foi a base para o reconhecimento do seu trabalho e a participação no remix da música “É nóiz”, do AXL, com Kamau, Projota e Rashid, Mattenie se distanciou um pouco dos holofotes.

Não, não pense que ele parou com o RAP. Pelo contrário, no ano passado ainda mostrou a força reivindicatória do gênero ao lançar um som de reflexão sobre as eleições. Com foco no seu “crescimento e amadurecimento musical”, foram poucos lançamentos de lá pra cá, mas isso tende a mudar nos próximos dias.

“Eu nunca fui daqueles que anunciam um lançamento semanas antes e faz twitcam para divulgar, prefiro ter o trampo nas mãos e quando for a hora, lançar. Mas já adiantando, esse mês virá um vídeo e uma música nova, já o disco, sem data ainda”, adiantou ele. Mattenie ainda aproveitou para comentar seu momento musical: “Estou mais preocupado em uma reforma no conceito de ‘verdades’ agora, não apenas maquiar o que está na nossa cara. Mas uma coisa garanto, o flow continua! rs”.

Abaixo você confere a entrevista completa com o rapper:

Mattenie

É inevitável começar sem perguntar sobre esse tempo que você ficou “parado”. Aconteceu alguma coisa entre você e os caras da Rua do Flow ou continuam trabalhando numa boa, como tá isso?

Primeiramente um “salve” à todos que acessam o site e irão ler a entrevista abaixo. Imaginei que seria questionado por isso, bom não aconteceu nada de ruim entre eu e a Rua do Flow não. Vejo nós como uma família muito antes de um selo. Estou presente em tudo que me é possível referente aos trabalhos, acompanho muita coisa de perto que vem sendo feita e posso garantir que vocês irão se surpreender com os próximos lançamentos. Nós refizemos toda uma cena local voltar a acreditar que sim é possível cantar rap na sua cidade e ser respeitado por isso. Chegamos onde ninguém antes havia chego e a caminhada ainda não terminou, sabe, aprendi cedo que “Sky is the limit and you know that you keep on just keep on pressin on…” (Notorious B.I.G.)

E por que a volta agora? Algum motivo específico?

Acho que a volta não é o termo correto sendo que eu nunca sai, ou deixei de lado essa parada. Ano passado lancei a música “O Rap é o Nosso Grito!” e também um vídeo protesto chamado “Após a festa sobra o lixo”, delatando o derrame de ‘santinhos’ dos políticos na porta das escolas em dia de eleição. Sabe, o Rap vai muito além das palavras que combinam em cima de uma batida. Eu procurei não ficar tão “parado” estes dois anos após o lançamento do EP, mas dei prioridade para o meu crescimento e amadurecimento musical. Não quero pôr um trampo na rua que lembre o anterior. Não posso ser mais do mesmo. Fiz uma busca interior para saber o que eu quero dizer às pessoas, o que eu tenho para mostrar à vocês e agora está na hora de mostrar.

Você fez um bom trampo no CD, mandou bem em vídeos e participações; aliás, chamou bastante atenção na “É nóiz (REMIX)”, com Kamau, Projota, Rashid e AXL. Enfim, a meta é voltar àquilo ou você se vê num momento musical diferente?

O que aconteceu no Remix para mim foi algo único. Você se ver no estúdio com quase todos aqueles que estavam no meu mp3 sabe, eles que me mostraram a nova cara do rap nacional e eu estava ali, gravando um verso para a mesma música, momento para lembrar o resto da vida. Me orgulho muito do que foi feito ali, meus 6 versos me levaram à palcos que eu nunca imaginei, mas o momento agora é outro. Aquilo já foi dito, já foi feito. Estou mais preoculpado em uma reforma no conceito de “verdades” agora, não apenas maquiar o que está na nossa cara. Mas uma coisa garanto, o flow continua! rs.

Além das músicas e vídeos, cê também tem vendido camisetas, conte-nos mais sobre essa parada. Não apenas as camisetas, mas da questão do rapper ter sua própria marca, seus próprios produtos, da importância disso.

As camisetas são uma outra parte da música. Às vezes apenas a pessoas conhecer sua música e ter entendido a mensagem não basta, ela precisa vestir a camisa literalmente e levar a mensagem consigo. Já foram mais de 100 camisetas vendidas, e sim, me orgulho muito disso pois sei que em pouco tempo serão 1.000, 2.000 e assim por diante…Vejo que muitos rappers investem nisso, assim como em outros aspectos eles aprenderam uma fórmula e à aplicam, mas muitas vezes não sabem nem o porque de se fazer isto.

Sobre os novos trabalhos, tem algum rapper brasileiro que você gostaria de algum dia fazer um som juntos? E fora do RAP, algum outro artista?

Na cena nacional gostaria de poder dividir a batida com diversos mc´s, mas acredito que hoje escolheria o Don L, acho muito louco me identificar com suas letras sem nem mesmo ter chego perto do nordeste e sua realidade. Outro mc também é o AXL, muitos me perguntam porque não temos uma música juntos, mas acredito que tudo tem sua hora, somos muito próximos, mas acredito que música de verdade não se força. Fora do rap, eu me sentiria honrado de escrever junto com Chico Buarque, que dispensa comentários.

Pra finalizar, você teve um tempo pra juntar uns trabalhos, colocar as ideias em dia. Agora é lançamento atrás de lançamento ou você pensa em ir aos poucos? Quais os próximos passos e as expectativas pros novos sons e vídeos, depois de um tempo sem lançá-los?

Sim, tenho muita coisa pronta agora, mas não pretendo lançar tudo de uma vez não. Gosto da surpresa para o público. Eu nunca fui daqueles que anunciam um lançamento semanas antes e faz twitcam para divulgar, prefiro ter o trampo nas mãos e quando for a hora, lançar. Mas já adiantando, esse mês virá um vídeo e uma música nova, já o disco, sem data ainda.

Agradecemos mais uma vez a participação. Se quiser deixar alguma mensagem para os fãs aqui no final ou algo do gênero, por favor, toda liberdade.

Gostaria de lembrar todos àqueles que dedicam seu tempo para escrever algo, e àqueles que escutam o que foi feito, a verdade está aí, não podemos negá-la. Não podemos nos contentar com essa realidade egoísta e medíocre em que vivemos. Temos que dar valor à quem está honrando essa parada, desde quem compra seu cd na rua até o melhor rapper do mundo, se for de verdade, nós saberemos. Muito obrigado equipe “Vai Ser Rimando”. Precisamos de mais pessoas assim na cena. Muito obrigado Vale do Paraíba pelo apoio e confiança, vamos trabalhar e nos unir para que o Vale realmente seja “Zica”. Paz à todos.

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

1 Comment

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*