Há alguns dias, mais precisamente dia 02 de agosto, Mamuti lançou no youtube o vídeo e música “E agora, José?“, que criticava José Serra por tentar se apropriar do espaço ganho pelo RAP no CCJ, como se fosse fruto de seu trabalho.

Aparentemente, nada mais do que uma crítica construtiva e com muita propriedade sobre um tema em evidência, atitude já vista diversas vezes no RAP.

Entretanto, ontem e hoje, com informações exageradas e distorcidas, matérias sobre o vídeo explodiram nas “mídias de massa”, por ele ter sido associado (e depois retirado) à campanha de Fernando Haddad, que concorre contra Serra em São Paulo. Os veículos também se focaram bastante na comparação entre Hitler e Serra que uma das imagens do vídeo mostra.

Para saber mais sobre a produção e repercussão da obra, fomos falar diretamente com o criador: o rapper Mamuti. Abaixo você confere uma entrevista rápida que fizemos com ele, por e-mail: (Para entender melhor o assunto, sugerimos que leiam o post: Com webvídeo e música “E agora, José?”, Mamuti critica José Serra)

Mamuti

Vai Ser Rimando: Antes de lançar o vídeo de “E agora, José?”, você já havia se manifestado nas redes sociais contra a matéria que ligava Serra ao RAP no CCJ. A música foi simplesmente uma forma de extravasar a indignação ou você queria mesmo fazer algo de protesto para todo mundo abrir o olho? Você tinha noção do barulho que ia causar?

Mamuti: Eu queria, além de extravasar minha revolta com o candidato, alertar meus irmãos e irmãs de Hip-Hop que tem gente querendo usar o nome do rap pra agregar simpatia da juventude na campanha. Não achei que o vídeo tomaria tais proporções, achei que ficaria na média de views dos meus trabalhos, ainda mais por se tratar de um vídeo com uma critica política que está meio “fora de moda” ultimamente. Reforçando essa minah crença vemos que o grande público do Rap mesmo só foi ver o vídeo após ele ter rodado muitos sites que falam sobre politica.

Vai Ser Rimando: Aliás, como é que surgiu o som? Você viu a matéria e já saiu escrevendo e produzindo?

Mamuti: Eu tava fazendo uma base quando recebi um e-mail com um alerta do google avisando que o nome do Reviva Rap havia aparecido em um site, quando cliquei pra olhar onde era fui direcionado para a página do tucano e a cada linha que lia ficava mais puto. Ao final da leitura eu já tinha um refrão na cabeça acompanhando a base que eu estava fazendo (e que se tornou a base do som). Tive a ideia de fazer um vídeo para agregar mais “conteúdo” ao meu “protesto” e em 2 dias eu gravei a música, filmei, editei e pus na net para nao deixar que as pessoas esquecessem!

Vai Ser Rimando: A “nova geração” do RAP Brasileiro já foi bastante criticada por não ser tão crítica socialmente como eram as gerações anteriores. Entretanto, você faz parte dessa “nova geração” e lança uma crítica direta a uma ação política. Como você enxerga a posição do RAP hoje em dia? Há espaço para uma temática mais amorosa, divertida, brincalhona em meio ao “RAP de Protesto”?

Mamuti: Eu mesmo tenho raps que falam de amor, relacionamentos e até raps com sátiras, como é o caso do Celular de Ultima Geração, acredito que toda música é livre, mas como MC, integrante do Hip-Hop e tendo como escola o Rap que “fala mesmo” que “cobra” acho que TUDO é aceitável na arte desde que não esqueçamos o compromisso que temos com nossa cultura e nossos irmãos e irmãs.

Vai Ser Rimando: Meio que em cima da pergunta anterior, você comentou em seu twitter “O triste é ver que muita gente do Rap se manteve em cima do muro!”. O que você quis dizer?

Mamuti: Como afirmei ali acima muitos sites politicos postaram o vídeo, HOJE praticamente TODOS os sites e blogs de jornais grandes de SP e até de fora postaram matérias sobre o vídeo. Mas até agora, 13:45 da quinta-feira 9, poucos amigos do Rap se manifestaram tanto sobre a música quanto sobre o post do candidato!

Vai Ser Rimando: Serra tentou usar o RAP para melhorar sua imagem. Haddad fez o mesmo com a sua música, para criticar o adversário. A maior parte da imprensa tem divulgado a música como material do PT ou como uma comparação entre Serra e Hitler, que, aparentemente, não eram seu foco. Por mais que isso alavanque milhares de visualizações do seu trabalho, pode prejudicar a forma como ele é visto. Como você tem visto essa exposição até o momento, tanto sua quanto do próprio RAP como um todo?

Mamuti: Eu não queria que o foco fosse esse, realmente. Acredito que isso possa prejudicar a forma como ele é visto da ótica dos Tucanos e simpatizantes conservadores. Até agora todos os comentários que tivemos fora desse “meio” sensacionalista foram de pessoas que entenderam a REAL IDEIA. Quanto as pessoas acharem que o vídeo é do PT estamos ressaltando para todos os veículos de imprensa que nos ligam que NÃO TEMOS AFINIDADE NENHUMA COM NENHUM PARTIDO POLITICO e não somos a favor do comite de campanha do Haddad ter usado nosso vídeo, essa atitude não se difere da do Serra ter dito que deu espaço pro Rap. E pra finalizar:
ATENTEM-SE IRMÃOS E IRMÃS, MUITA GENTE QUER USAR NOSSO NOME (O DO RAP/HIP HOP) PORQUE AGORA TEMOS DESTAQUE NAS MÍDIAS. ANTIGAMENTE ERA O CONTRÁRIO, SEMPRE FOMOS REPREENDIDOS E IGNORADOS PELO PODER!

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*