Em entrevista pra VICE, Kamau explica o título do cd “por ser ‘entre na minha cabeça’, ‘visite a nossa cozinha’, e, entre um álbum e outro, que é o Non Ducor Duco e o álbum novo“. E isso fica bem claro na faixa “Entre“, com participação de Di Ferreiro e Paola Evangelista, na qual inicia-se falando em uma “limpeza na casa”, para receber alguém, e termina com comparações entre antes e depois, novos e antigos.

Palavras do próprio Kamau de lado, acho que temos que explicar o título do post. Além da expressão “dar aula” significar algo superior em qualidade, também tivemos uma intenção literal. Até pela experiência e o convívio do rapper com diversas gerações de artistas do gênero, algumas das ideias do Kamau podem ser entendidas como aulas teóricas e práticas.

Música de Trabalho” é uma delas. Se um dia fizerem um “manual do MC”, pode colocar essa letra como descrição máxima. Sabe quando você vai fazer um trabalho de faculdade e precisa colocar o referencial teórico? “Música de Trabalho” é isso. Kamau descreveu em música uma referência pra quem quer saber o que é e pra quem pensa em ser.

Além da qualidade do clipe e da música, que já falamos num post especialmente dedicado, “21/12” é um exemplo de “cantar o que vive”, que pedimos tanto no RAP. Kamau conta sua história desde a época do skate até atualmente, mas de uma maneira que as pessoas possam se identificar e sentir o som. “Por onde andei” também trabalha a ideia de trajetória, mas pontuando o tempo que o rapper “ficou longe”. Aliás, o clipe foi lançado no dia de seu aniversário e marcou com muita qualidade a sua “volta”.

(Eu Quero) Mais” é a “revolta” do Kamau como um todo. A essência da música é incrível. Em sumo, ela busca desacomodar os acomodados, destacando que devemos buscar sempre mais. Na primeira estrofe, o rapper direciona o protesto à condição do negro no país; na segunda, à sua posição como músico; na terceira, como pessoa, num geral. A música é importante em todos os níveis, pois, convenhamos, o acômodo é totalmente contra o progresso.

Mas, se o RAP é ritmo e poesia, “Lágrimas do Palhaço” é poesia e ritmo. Com uma pegada mais dramática, Kamau fala daquela de “ter que parecer feliz em meio às tristezas”. A lembrança de “Jesus Chorou“, do Racionais, nas colagens do Erick Jay é sensacional. Também lembramos da “Beautiful“, do Eminem, quando ele diz que “é um comediante, mas se esconde nas lágrimas de um palhaço”. Sem dúvida, um dos melhores sons da EP, se não for o melhor. E nem nos deixe começar a falar sobre o brilhantismo do refrão na voz da Tulipa Ruiz; mágico!

Além das produções de André Maini, Renan Samam, Korede, Thew Franklim e StereoDubs (“Pretinha”) e Nave (“Só”) nos remixes, Kamau ainda contou com as poesias de Emerson Alcalde entre uma música e outra. Não só uma bonita participação, mas um ótimo destaque à poesia de rua. Aliás, a “Acorde” ficou sensacional como entrada para a “21/12“.

Enfim, é válido dizer que depois de tanta expectativa pra ouvir a EP, “…Entre…” com certeza vale a pena. Em seu perfeccionismo e paixão pelos clássicos, Kamau leva o ritmo e a poesia ao extremo, criando um “RAP de raiz moderno”. O ponto negativo é que, depois de tanta espera pelo cd, ele nos deixou ainda mais ansiosos para o próximo disco…

EP “…Entre…” – KAMAU

01 – (Interna)Mente [Prod. Kamau e André Maini]
02 – Entre (Part. Paola Evangelista e Di Ferrero) [Prod. Renan Samam]
03 – Eu Vou [Prod. Kamau e André Maini]
04 – Música De Trabalho [Prod. Renan Samam e Kamau]
05 – (Acorde) [Prod. Kamau e André Maini]
06 – 21-12 [Prod. Renam Samam]
07 – Por Onde Andei (Part. Paola Evangelista) [Prod. Korede]
08 – (Eu Quero) Mais [Prod. Renan Samam]
09 – Lágrimas Do Palhaço (Part. tulipa Ruiz) [Prod. Renan Samam]
10 – Hora de Partir-(Eterna)Mente [Prod. Kamau e André Maini]
11 – Ciclo [Prod. Thew Franklim]
12 – Resistência Remix (Part. Invicible) [Prod. Renan Samam]
13 – Pretinha (Part. Rael Da Rima) [StereoDubs]
14 – Só (Remix) [Prod. Nave]

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*